Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Proposta de Theresa May para o Brexit “condenada ao fracasso”, vaticina Tony Blair

Paul Morigi

O antigo primeiro-ministro britânico defende, em entrevista à Euronews, que a proposta anunciada pela atual chefe do Executivo “é o pior de dois mundos e não vai satisfazer ninguém”. “A propósito, não penso que vá passar na Câmara dos Comuns. Penso que o Parlamento acabará por chumbar [a proposta]”, acrescentou. O negociador-chefe da UE para o Brexit também se diz “fortemente contra” as propostas de May sobre o comércio

O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair acredita que proposta do Governo de Theresa May para o Brexit está “condenada ao fracasso”, prevendo também um chumbo no Parlamento. Em entrevista exclusiva à Euronews, Blair disse que a proposta anunciada pela atual chefe do Executivo “é o pior de dois mundos e não vai satisfazer ninguém”.

O plano, acordado em julho na casa de campo da primeira-ministra, em Chequers, prevê uma saída do Reino Unido da União Europeia (UE) muito mais suave do que inicialmente previsto. Segundo o plano, “um conjunto comum de regras” seria mantido entre as duas partes, comprometendo-se o Reino Unido a uma harmonização continuada com as regras comunitárias.

Por outro lado, o plano também faz concessões quanto ao papel de arbitragem do Tribunal de Justiça da União Europeia na relação entre as partes, além de propor um acordo alfandegário facilitado, através do qual o Reino Unido poderia cobrar tarifas para a UE. Como consequência, os então ministros dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, e do Brexit, David Davis, demitiram-se.

Plano divide Partido Conservador e tem oposição de Bruxelas

Theresa May “está completamente no caminho errado”, defende Blair. “Compreendo por que motivo tenta fazer isto [este plano] mas penso que está condenado ao fracasso”, acrescenta. Na perspetiva do antigo primeiro-ministro, May vê-se na obrigação de fazer cumprir o Brexit, apesar de não o achar “uma boa ideia”, daí que opte pela sua “versão mais suave” para dizer às pessoas que votaram pela saída que “cumprimos o Brexit e protegemos a economia”.

“Parece um compromisso inteligente mas, na verdade, trata-se de um compromisso que é o pior de dois mundos e que não satisfará ninguém. É por isso que, a propósito, não penso que vá passar na Câmara dos Comuns. Penso que o Parlamento acabará por chumbar [a proposta]”, acrescentou. O plano de Chequers deverá ser votado em outubro e o próprio partido de May, o Partido Conservador, está dividido sobre o acordo.

O plano também tem merecido o mais profundo ceticismo por parte de Bruxelas, com o negociador-chefe para o Brexit, Michel Barnier, a mostrar-se “fortemente contra” as propostas de May sobre o comércio. Em entrevista ao diário alemão “Frankfurter Allgemeine Zeitung”, Barnier disse este domingo que a concretização de algumas das propostas seria ilegal e levaria ao “fim do mercado único e do projeto europeu”.