Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cerca de 50.000 pessoas em concerto na Alemanha contra “ódio da extrema-direita”

JOHN MACDOUGALL/Getty

Cerca de 50.000 pessoas participaram nesta segunda-feira num concerto de rock contra a xenofobia em Chemnitz, no leste da Alemanha, apoiado pelas autoridades do Estado, que estão a apelar aos alemães para se mobilizarem contra "o ódio" propagado pela extrema-direita.

Respondendo ao repto "Nós somos mais numerosos", para mostrar que são mais os cidadãos alemães que não odeiam os estrangeiros, cerca de 50.000 pessoas, segundo dados fornecidos pela cidade de Chemnitz, em vez das entre 20.000 e 30.000 esperadas pelos organizadores, assistiram ao concerto gratuito em que atuaram bandas da cena local e nacional.

"Não se trata aqui de uma batalha da esquerda contra a direita, mas de uma evidência, e pouco importa a vossa cor política: opormo-nos a uma multidão de extrema-direita que está a tornar-se violenta", explicou Campino, vocalista da banda Toten Hosen, muito famosa na Alemanha. "É muito importante que detenhamos este movimento enquanto ainda é uma bola de neve e antes que se transforme numa avalancha", acrescentou o cantor, explicando a sua presença "como cidadão" e não como artista.

O evento, agendado "para que as pessoas de Chemnitz não se sintam sozinhas", foi organizado em reação a várias manifestações violentas da extrema-direita contra os estrangeiros no país que ocorreram na última semana.

Os habitantes da cidade da antiga RDA foram também convidados através das redes sociais a participar numa "manifestação nas janelas", retomando as palavras de ordem "Nós somos mais numerosos" e pendurando nas respetivas varandas mensagens de tolerância.