Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Secretário de Defesa dos EUA com reservas iniciais em relação à Força Espacial

Drew Angerer/Getty Images

James Mattis terá escrito uma carta ao Congresso na qual assinalava que era prematuro pôr a hipótese de criar um sexto ramo do Exército num momento em que o seu objetivo era reduzir os gastos com a Defesa

O secretario da Defesa norte-americano, James Mattis, opunha-se inicialmente à criação de uma Força Espacial, uma medida proposta pelo Presidente Donald Trump e que começou na quinta-feira a dar os primeiros passos, adiantaram fontes oficiais.

De acordo com a imprensa local dos EUA, Mattis chegou a escrever em julho de 2017 uma carta ao Congresso na qual assinalava que era prematuro pôr a hipótese de criar um sexto ramo do Exército num momento em que o seu objetivo era reduzir os gastos com a Defesa.

"Quando (Mattis) fez estes comentários - há um ano e o momento é muito importante - estava a fazer frente ao congelamento de fundos para o Departamento e estávamos a enfrentar um ajuste significativo", disse na quinta-feira o subsecretário da Defesa, Patrick Shanahan, em declarações que apenas hoje foram divulgadas pelo Pentágono.

Os comentários foram feitos momentos depois de o vice-Presidente, Mike Pence, ao lado de Mattis, ter presidido a um ato oficial do Departamento de Defesa dos EUA no qual se deu a conhecer a proposta do Pentágono para criar uma Força Espacial até 2020.

A criação desta nova força, que iria juntar-se aos restantes ramos das Forças Armadas, ainda tem que receber o aval do Capitólio, onde inúmeros deputados se mostraram contra a proposta. "Partilho as preocupações do Congresso em relação à capacidade de organização e administração do Departamento [de Defesa] para temas do espaço", disse Shanahan, que admitiu também que este novo exército implicaria gastos contrários às preocupações orçamentais da administração norte-americana.