Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rússia "rejeita categoricamente" novas sanções dos EUA

Mikhail Japaridze / Getty Images

Serguei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, disse a Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, que o seu país "rejeita categoricamente" a imposição de novas sanções económicas sobre a Rússia, por causa do caso do envenenamento do ex-espião Serguei Skipral, pela qual os Estados Unidos culpam cidadãos russos

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, disse esta sexta-feira ao homólogo norte-americano, Mike Pompeo, durante uma conversa telefónica, que a Rússia "rejeita categoricamente" as novas sanções dos Estados Unidos.

"A Rússia rejeita categoricamente as novas sanções anunciadas recentemente por Washington relacionadas com presumíveis informações sobre a implicação da Rússia no chamado caso Skripal", disse Lavrov, segundo uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

"Serguei Lavrov sublinhou que, desde o incidente de Salisbury, nem os Estados Unidos, nem o Reino Unido, nem qualquer outro país avançou qualquer facto confirmando tais alegações", acrescenta a nota. A conversa realizou-se "por iniciativa americana", afirma ainda.

Os Estados Unidos anunciaram na quarta-feira novas sanções pelo envolvimento no caso do envenenamento com um agente neurotóxico (Novichok) do antigo espião russo Serguei Skripal e da filha, Yulia, a 4 de março em Salisbury, Inglaterra.

O caso Skripal provocou uma crise diplomática que se traduziu numa ação coordenada inédita para a expulsão de diplomatas russos de vários países ocidentais, incluindo os Estados Unidos e dois terços dos países membros da União Europeia, a que a Rússia respondeu com a expulsão de diplomatas ocidentais.