Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tailândia concedeu cidadania a três dos rapazes resgatados da gruta e ao seu treinador

Getty Images

Autoridades cumpriram a promessa feita no momento do resgate e já entregaram aos jovens, que viviam no país em situação ilegal, os documentos que os tornam cidadãos de pleno direito. Tanto os jovens como o treinador são descendentes de famílias de Myanmar

Já são cidadãos tailandeses os três jovens e o treinador da equipa Wild Boar, conhecida pelo facto de vários dos seus elementos terem ficado quase três semanas encurraladas numa gruta. Descendentes de famílias estrangeiras, que chegaram à Tailândia a partir de Myanmar (antiga Birmânia), os jovens e o seu treinador, Ekkapol Ake Chanthawong, aguardavam a atribuição de cidadania há já bastante tempo, uma vez que o processo é lento no país e pode arrastar-se até uma década.

No final de junho, depois de o mundo ter acompanhado o difícil resgate dos rapazes, que teve final feliz, as autoridades prometeram dar os passos necessários para garantir a legalização dos miúdos e de Ekkapol.

A promessa foi agora cumprida, estando os quatro entre o grupo de 30 que esta quarta-feira receberam os documentos oficiais que atestam a sua condição de cidadãos tailandeses.

Receberam-nos das mãos do responsável pelo distrito de Mae Sai, que explicou que nenhuma etapa foi ultrapassada, já que todos cumpriam os requisitos necessários para o efeito.

Como o treinador, Ardoon Sam-aon, Mongkol Boompiam e Ponchai Khamluang têm agora liberdade de movimento e acesso aos serviços públicos.

Estima-se que existam 480 mil pessoas a viver na Tailândia em situação ilegal.