Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Iván Duque toma posse como Presidente da Colômbia com dedo apontado às FARC

RAUL ARBOLEDA/AFP/Getty Images

No discurso de tomada de posse, o antigo advogado garantiu que continua comprometido com o processo de paz mas acusou as FARC de serem demasiado brandas com antigos guerrilheiros acusados de crimes de guerra. Um dos objetivos assumidos pelo novo chefe de Estado é reunificar o país depois de uma campanha eleitoral fraturante. Aos 42 anos, Duque torna-se o mais jovem Presidente eleito na Colômbia

O recém-eleito Presidente da Colômbia, Iván Duque, tomou posse esta terça-feira e prometeu unir o país, melhorar o crescimento económico, combater a corrupção e mudar o acordo de paz assinado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). O antigo advogado e estreante político conservador foi eleito em junho depois de uma campanha eleitoral que o opôs a Gustavo Petro.

O Presidente cessante, Juan Manuel Santos, pediu a Duque que respeite o acordo de paz com as FARC, negociado em 2016 para pôr fim a um brutal conflito civil de cinco décadas. Alguns membros do grupo, entretanto convertido no partido político Força Alternativa Revolucionária Comum, assumiram no mês passado os seus assentos parlamentares como parte dos termos do acordo que garantem a sua representação política.

“Medidas corretivas” contra as FARC para não haver “repetições do passado”

No discurso de tomada de posse, Duque garantiu que continua comprometido com o processo de paz na Colômbia mas acusou as FARC de serem demasiado brandas com antigos guerrilheiros acusados de crimes de guerra. “Vamos implantar medidas corretivas para garantir que as vítimas tenham a verdade, justiça proporcional, compensações e não repetições do passado”, disse.

Outro dos objetivos assumidos pelo novo Presidente é reunificar o país depois de uma campanha eleitoral fraturante. “Quero governar a Colômbia com valores e princípios inquebráveis, superando as divisões de esquerda e direita, ultrapassando com o diálogo popular os sentimentos espinhosos que convidam à fratura social. Quero governar a Colômbia com o espírito de construir, nunca de destruir”, afirmou.

Aos 42 anos, Duque torna-se o mais jovem Presidente eleito no país, tendo sido escolhido a dedo como líder partidário por Álvaro Uribe, ele próprio Presidente entre 2002 e 2010. Marta Lucía Ramírez torna-se, por sua vez, a primeira mulher vice-Presidente da Colômbia.

  • Iván Duque, opositor do acordo com as FARC, é o novo Presidente da Colômbia

    Com quase 54% dos votos, o candidato de direita venceu a segunda volta das eleições presidenciais deste domingo, as primeiras desde o acordo de paz assinado com os rebeldes das FARC. Perante uma multidão de apoiantes, Duque prometeu que não irá “governar com ódio”, mas disse que pretende rever o acordo. O candidato de esquerda, Gustavo Petro, que apoia o acordo, ficou ligeiramente abaixo dos 42%

  • “Quando os processos de paz são reais, os ideais são imortais”

    São as eleições mais importantes na Colômbia desde que a guerra com as FARC começou. Pela primeira vez, os colombianos escolhem um presidente em tempos de paz mas dessa escolha depende a própria paz. A primeira volta é este domingo e o que vai a votos são duas visões: uma aberta à reinserção das FARC na política mas fechada ao capital, outra liberal mas fechada ao regresso dos guerrilheiros à vida civil. Será possível arrumar 50 anos de guerra alienando para sempre uma parte da população?