Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estados Unidos impõem novas sanções à Rússia por causa do caso Skipral

REUTERS/Henry Nicholls

EUA sempre disseram que iam conduzir a sua própria investigação ao envenenamento de dois cidadãos russos no Reino Unido e as conclusões chegaram esta quarta-feira

Os Estados Unidos vão impor uma série de novas sanções à Rússia por causa da tentativa de envenenamento sofrida por Sergei Skipral, um antigo duplo agente russo que procurou refúgio no Reino Unido, e pela sua filha Yulia em março deste ano.

A administração do presidente Donald Trump acredita que os russos estiveram diretamente envolvidos na produção e utilização danosa do poderoso agente químico novichok, que pode, em poucos minutos de contacto com a pele, tornar-se letal provocando a falência de vários órgãos. Pai e filha acabaram por sobreviver mas estiveram nos cuidados intensivos várias semanas.

O reforço das sanções foi anunciado esta quarta-feira pelos Estados Unidos, que já expulsaram vários diplomatas e funcionários de embaixadas russas no país em retaliação pelo ataque, que aconteceu em março. “Os Estados Unidos, sob o aval da Lei para o Controlo das Armas Químicas e Biológicas de 1991, determinam que o governo da Federação Russa utilizou estas armas em violação da Lei Internacional, incluindo sobre os seus próprios cidadãos”, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, em comunicado à imprensa norte-americana.

As sanções, segundo um membro da administração que falou ao “The Washington Post” sob anonimato, disse que as sanções podem “vir a afetar gravemente o comércio entre os dois países” e dividem-se em duas fases diferentes. Primeiro haverá uma proibição da emissão de mais licenças para o envio de mercadoria para a Rússia, como produtos tecnológicos. O impacto deve contudo ser reduzido, uma vez que apenas reforça sanções que já estão em vigor. A segunda parte pode ser mais problemática.

Se a Rússia não parar todo o uso de armas químicas e biológicas e não consentir em abrir as portas à ONU para verificar isso mesmo, então há um outro pacote de punições económicas que se aciona e essas podem paralisar uma parte do comércio entre as duas potências e impedir que aviões russos aterrem nos Estados Unidos.

Sergei e Yulia Skripal foram encontrados num banco do centro comercial The Maltings, em Salisbury, a 4 de março, inconscientes e em estado grave. Três meses mais tarde, depois de já conhecida a ligação entre o estado de saúde dos Skripal e a utilização do agente químico novichok, Dawn Sturgess e o seu companheiro, Charlie Rowley, deram entrada no hospital pelas mesmas razões: contacto com o agente químico, aqui encontrado num frasco de perfume na posse da mulher de 45 anos que acabou por morrer.

A notícia do reforço das sanções chega poucas horas após o senador Paul Rand ter entregue, por via diplomática, a Vladimir Putin uma carta de Donald Trump a pedir “um aprofundamento das discussões em várias áreas, incluindo no combate ao terrorismo, laços culturais e iniciativas legislativas comuns na ONU”, escreve o "USA Today”.