Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Celebridades lançam apelo a Ivanka Trump e pedem demissão de secretária de Segurança Interna dos EUA

Chip Somodevilla/Getty Images

Apelo é feito uma semana depois de Ivanka Trump, filha de Donald Trump, ter-se referido a separação de famílias na fronteira dos EUA com o México como um “momento mau” para a administração de Donald Trump. “Mau foi para as famílias separadas”, lê-se na mensagem partilhada por figuras conhecidas como a comediante Amy Schumer e a atriz Cara Delevingne

Celebridades como a comediante Amy Schumer e a apresentadora e modelo britânica Alexa Chung lançaram uma campanha a apelar a Ivanka Trump, filha de Donald Trump, para se pronunciar sobre o que consideram ser os efeitos negativos da política de imigração nos EUA e a pedir a demissão de Kirstjen Nielsen, secretária de Segurança Interna dos EUA.

Na quinta-feira passada, Ivanka Trump falou pela primeira vez sobre a separação de famílias na fronteira dos EUA com o México, que avaliou como um “momento mau” para a administração de Donald Trump. Afirmou estar “veementemente” contra a referida política, sublinhando, contudo, que o tema da imigração é “muito complexo”.

Várias celebridades seguidas pela filha de Trump no Instagram, incluindo Alexa Chung, apresentadora e modelo britânica, a atriz Cara Delevingne e a comediante Amy Shumer, consideraram as declarações insuficientes e recorreram àquela rede social para expressar o seu descontentamento, partilhando entre si a mesma publicação.

“Querida Ivanka, sei que me segue nas redes sociais. Recentemente, afirmou que a separação de famílias [na fronteira] foi um momento mau para si, mas na verdade foram as famílias separadas que passaram por um momento mau. Também falou no pretérito perfeito, mas esta crise continua. Há 572 crianças que continuam afastadas dos pais e uma criança morreu depois de ter sido separada”, lê-se na publicação, onde se pede a reunificação das famílias e a demissão de Kirstjen Nielsen, que acompanhou a implementação da política de “tolerância zero” para com os imigrantes que entram no país. A campanha foi organizada pelo realizador Paolo Mendoza, a atriz Sarah Sophie Flicker e a jornalista Alyssa Klein, que há vários meses se pronunciam contra estas políticas.

Durante a entrevista da passada quinta-feira, Ivanka Trump também lembrou que é filha de uma imigrante da antiga Checoslováquia para demonstrar a sua empatia em relação ao assunto. Ressalvou, no entanto, que os EUA “são um país com leis” e que a sua mãe entrou no país de forma legal. Numa espécie de “fact-check”, o britânico “The Guardian” refere que embora seja verdade que Ivana Trump, mãe de Ivanka, obteve um visto americano depois de se casar com Donald Trump, deixou a antiga nação comunista casando-se com um homem com o qual nem sequer namorava. Na altura do divórcio, em 1990, a advogada de Ivana Trump disse que o “único propósito” do casamento fora facilitar a saída da sua cliente da antiga Checoslováquia.

Instagram