Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Governo etíope assina cessar-fogo com grupo de oposição

Abiy Ahmed, primeiro-ministro da Etiópia

ZACHARIAS ABUBEKER/Getty

Acordo impõe um cessar das hostilidades entre ambas as partes e permite à OLF voltar a ter atividades políticas dentro da Etiópia

O Governo da Etiópia assinou nesta terça-feira um cessar-fogo com um dos principais partidos armados da oposição, a Frente de Libertação Oromo (OLF), em Asmara, capital da Eritreia, onde tem atuado a organização independentista, até recentemente considerada terrorista.

Citada pela agência de notícias espanhola Efe, a cadeia televisiva Fana Broadcasting Corporation (FBC), próxima do Governo etíope, informou que o acordo impõe um cessar das hostilidades entre ambas as partes e permite à OLF voltar a ter atividades políticas dentro da Etiópia, "sempre de forma pacífica".

O cessar-fogo foi conseguido por uma delegação do Governo etíope, liderada por Lemma Megersa, chefe da administração da região de Oromia, área cuja independência foi reivindicada por este grupo, e o presidente do partido opositor, Dawud Ibsa. Segundo a Efe, este acordo foi alcançado apenas um mês depois de o Governo etíope aprovar uma lei que removeu a qualificação de "grupo terrorista" para este e outros dois grupos de oposição, a maior organização armada no exílio, Ginbot 7, e outro partido independentista regional, a Frente de Libertação Nacional de Ogaden (ONLF).

Estes três partidos políticos, que estiveram exilados na Eritreia, foram descritos como terroristas em maio de 2011, quando o parlamento de Adis Abeba também colocou os grupos jihadistas Al-Qaeda e Al-Shebab na lista.

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, comunicou várias vezes o seu desejo de negociar com a oposição e começou a receber delegações de vários partidos. A oposição tem vindo a reconhecer gradualmente o Governo e também manifestou a sua vontade de dialogar e voltar às suas atividades políticas pacíficas dentro do país.