Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Este homem quer ser o primeiro governador muçulmano dos EUA: quem é Abdul El-Sayed?

Bill Pugliano

Filho de imigrantes egípcios nos EUA, este médico e professor universitário foi nomeado diretor executivo do Departamento de Saúde de Detroit aos 30 anos, o mais jovem de sempre. El-Sayed, um “progressista” que tem a sensação que vai morrer novo, quer criar oportunidades para as “pessoas reais” de Michigan

Antes de a filha nascer, Abdul El-Sayed escreveu-lhe uma carta com 5000 palavras para ela ler quando celebrar o 18.º aniversário. Este norte-americano, nascido e criado em Michigan, quis imortalizar a maneira como olha o mundo e permitir, caso não tenham tempo para se conhecerem, que ela saiba quem ele é.

Na entrevista à “Hour Detroit” onde revelou a existência desse texto que almejava congelar o tempo, Sayed revelou que sempre achou que ia morrer novo. “Foi sempre uma sensação.” O desabafo revela vertigem. É fácil explicar: Sayed corre para o cargo de governador do Estado do Michigan e pode tornar-se no primeiro muçulmano a conquistar a cadeira. As primárias do Partido Democrata têm lugar esta terça-feira.

Abdul El-Sayed, um médico de 33 anos sem experiência política, apresenta-se no Twitter como “pai”, “marido”, “progressista”, “funcionário público” e “médico de saúde pública”. E quer revolucionar a política e mudar a vida dos cidadãos de Michigan.

A queda para a política, quem sabe, já lá morava há muito. É que em 2007, conta o “Metro Times”, o discurso de fim de curso de Sayed não passou despercebido ao antigo presidente norte-americano, Bill Clinton, que discursou depois dele. O agora candidato a governador tinha 22 anos e Clinton comentou em tom de brincadeira que ele tinha futuro na política.

Este filho de imigrantes do Egipto foi professor assistente na Universidade de Columbia e chegou a diretor executivo do Departamento de Saúde de Detroit com apenas 30 anos, transformando-se no mais jovem de sempre no cargo. Se for eleito governador, em novembro, os seus caminhos voltarão a cruzar-se com os de Bill Clinton: Sayed tornar-se-ia o mais jovem governador desde aquele ex-presidente, em 1978 (Arkansas), conta “The Guardian”. Clinton tinha 32 anos.

Esse texto do diário britânico questiona no título se este “novo Obama” será o primeiro governador muçulmano nos Estados Unidos. Barack Obama, um homem de pele negra e com o apelido Hussein, foi eleito em 2008 com cerca de 69 milhões de votos.

Abdul El-Sayed com Alexandria Ocasio-Cortez

Abdul El-Sayed com Alexandria Ocasio-Cortez

Bill Pugliano

O que quer afinal Sayed? Podemos enumerar algumas ideias, com base nesta lista de 20 pontos do seu programa. Quer igualdade de género, seja em que plataforma ou contexto for. Defende o aumento do salário mínimo para 13 euros à hora, assim como deseja criar um sistema de saúde de pagador único. Sayed defende uma sociedade mais amiga das mulheres, para o que contribuirá eliminar as diferenças salariais.

Tal como Bernie Sanders, um dos mais importantes aliados nesta corrida, não quer contribuições para a campanha que têm origem em empresas, preferindo os donativos individuais. A proteção do ambiente e acesso ilimitado à água potável são outras batalhas em cima da mesa. Noutro ponto, defende o ensino universitário gratuito para famílias com baixos rendimentos. Finalmente, Sayed é um defensor da legalização da canábis.

“Este movimento é sobre política com um propósito”, escreve no site oficial da campanha, dizendo ter uma crença inabalável nas pessoas de Michigan, no seu potencial e na promessa de um futuro.

Gosta de hip hop e jogou críquete na Universidade de Michigan - “Lá conheci o amor da minha vida, a Sarah”. Sayed diz que o seu percurso, como médico, professor e funcionário público, “foi sempre sobre criar oportunidades para as pessoas reais”.

Bill Pugliano

Abdul El-Sayed pode inspirar-se em Stacey Abrams, uma democrata recentemente eleita a primeira mulher negra candidata a governadora na Georgia, e ainda em Alexandria Ocasio-Cortez, que poderá tornar-se na primeira mulher hispânica a representar Nova Iorque.

Para fazer história, Sayed terá de ultrapassar as primárias, nas quais terá como adversários Gretchen Whitmer e Shri Thaneder. A primeira tem uma máquina por trás recheada de dinheiro e ainda conta com o apoio de sindicatos poderosos. O segundo é outro estreante na política, um empresário da área da química, que já deu uma facada de 10 milhões na fortuna pessoal para financiar a corrida a governador, conta o “New York Times”.

Estou a tentar lembrar as pessoas por que razão o sistema foi construído como foi construído e que foi corrompido por um grupo de pessoas muito pequeno, muito poderoso e muito rico, que comprou os nossos políticos”, disse há um ano Sayed.

Michigan tem um lado imprevisível, já que em 2016 o seu eleitorado votou primeiro em Bernie Sanders e depois em Donald Trump. Resta saber se a proximidade de Sanders a Sayed será decisiva.