Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Portugueses nas ilhas indonésias Gili retirados para Bali e Lombok

ADEK BERRY/GETTY IMAGES

Mais de duas dezenas de portugueses foram afetados pelo sismo de magnitude 7 na escala de Richter, mas não há registo de feridos

Cerca de duas dezenas de cidadãos portugueses que se encontravam na Indonésia durante o sismo de domingo estão a ser retirados das ilhas Gili em embarcações do Governo indonésio, revela a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

A mesma fonte precisou que as "cerca de duas dezenas de cidadãos portugueses" estão "a caminho de Lombok e Bali".

"Chegados a Bali, os portugueses terão o apoio do encarregado da secção consular da Embaixada de Portugal em Jacarta", acrescentou o gabinete governamental.

Na região afetada pelo sismo de magnitude 7 na escala de Richter, "foram identificados pelos serviços consulares mais de duas dezenas de cidadãos nacionais, sendo que não houve registo de portugueses feridos".

Segundo o instituto norte-americano de geofísica (USGS), o sismo teve origem a 10 quilómetros de profundidade e a 2,4 quilómetros a leste de Loloan, uma localidade no norte da ilha, tendo feito pelo menos 98 mortos entre os habitantes.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, ofereceu a ajuda da entidade à Indonésia, no seguimento do devastador sismo. O dirigente da ONU exprimiu a sua tristeza, perante "a devastadora perda de vida, os feridos e a destruição" provocada pelo abalo, disse hoje o porta-voz adjunto da ONU, Farhan Haq.Guterres garantiu que "as Nações Unidas estão prontas para apoiar os esforços em curso de busca e salvamento, se for necessário", adiantou o porta-voz.

Há uma semana, outro tremor de terra de magnitude 6,4 fez 17 mortos e mais de 350 feridos também em Lombok, ilha turística dominada pelo vulcão Rinjani e situada a leste de Bali, onde o sismo de domingo foi igualmente sentido.

A Indonésia está localizada no designado "anel de fogo do Pacífico", área de grande atividade sísmica, que regista anualmente cerca de 7.000 sismos, a maioria dos quais moderados.