Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Venezuela. Oposição diz que saída da crise deve ser “democrática”

FEDERICO PARRA/Getty

“A solução que o nosso povo merece é a solução democrática e constitucional”, indicou a plataforma Frente Ampla num comunicado

A coligação da oposição venezuelana Frente Ampla assinalou neste domingo que a solução para a profunda crise no país é a "democrática", no dia seguinte ao de um ataque denunciado pelo presidente venezuelano como uma tentativa de "assassinato". "A Frente Ampla Venezuela Livre reafirma que a solução que o nosso povo merece é a solução democrática e constitucional", indicou a plataforma num comunicado.

Duas explosões, aparentemente provocadas por 'drones' (veículo aéreo não tripulado), ocorreram no sábado em Caracas durante uma cerimónia de celebração do 81.º aniversário da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar). O presidente Nicolas Maduro escapou ileso, mas sete militares ficaram feridos e foram hospitalizados. Segundo o ministro da Comunicação e Informação venezuelano, Jorge Rodríguez, tratou-se "de um atentado contra a figura do Presidente Nicolas Maduro Moros".

A Frente Ampla adiantou que está por provar se o incidente "foi realmente um atentado", pedindo que se aguardem os resultados das investigações. O ataque foi reivindicado por um misterioso grupo rebelde, o Movimento Soldados de Flanelas (MSF), embora Maduro tenha acusado o seu homólogo colombiano, Juan Manuel Santos, de o ter ordenado, alegação negada pela presidência da Colômbia.

A Venezuela vive uma situação social e política particularmente tensa, com uma penúria generalizada. A inflação pode atingir os 1.000.000% no final de 2018, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), enquanto o produto interno bruto (PIB) pode cair 18%.