Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump reverte proposta de Obama para fabrico de carros mais limpos e eficientes

Justin Sullivan/Getty Images

Quando foi apresentada, a proposta de Obama mereceu a oposição dos fabricantes de automóveis, que a consideravam excessivamente pesada. No entanto, a proposta de Trump vai muito além do que pretendiam muitos dos maiores fabricantes, estando estes agora preocupados com a possibilidade de os desafios legais e a incerteza regulatória complicarem os negócios

O Presidente dos EUA, Donald Trump, apresentou esta quinta-feira a sua tão esperada proposta de congelamento dos padrões de antipoluição e eficiência de combustível dos carros, enfraquecendo significativamente uma das políticas mais emblemáticas do seu antecessor Barack Obama para combater o aquecimento global. De acordo com a edição desta sexta-feira do jornal “The New York Times”, os planos da administração receberam a oposição em várias frentes, desde ambientalistas a consumidores e representantes da indústria automóvel, que tentam agora alterar a proposta antes de esta estar finalizada.

Publicado em conjunto pela Agência de Proteção Ambiental (EPA, no acrónimo em inglês) e pelo Departamento de Transportes, o plano reverte uma regra de 2012 que exige aos fabricantes que quase dupliquem a economia de combustível dos veículos de passageiros até 2025. Na prática, a nova proposta acabaria com a exigência de fabrico de carros mais limpos e eficientes, incluindo veículos híbridos e elétricos.

Quando foi apresentada, a proposta de Obama, que se destinava a reduzir as emissões dos EUA de gases com efeito de estufa, mereceu a oposição dos fabricantes de automóveis, que a consideravam excessivamente pesada. No entanto, a proposta de Trump vai muito além do que pretendiam muitos dos maiores fabricantes, estando estes agora preocupados com a possibilidade de os desafios legais e a incerteza regulatória complicarem os negócios.

“Um ataque à saúde dos americanos em toda a parte”

O governador da Califórnia, Jerry Brown, afirmou que o seu estado está preparado para lutar. “Trump tenta agora destruir uma lei promulgada pela primeira vez a pedido de Ronald Reagan há cinco décadas [e isso] é uma traição e um ataque à saúde dos americanos em toda a parte”, disse.

Num comunicado intitulado “Make Cars Great Again”, publicado no diário “The Wall Street Journal”, a secretária dos Transportes, Elaine L. Chao, e o administrador em exercício da EPA, Andrew Wheeler, escreveram que os padrões da era Obama “impõem custos significativos para os consumidores americanos e eliminam empregos”. Segundo os responsáveis, a nova proposta dá aos consumidores “maior acesso a veículos mais seguros e acessíveis, ao mesmo tempo que continua a tentar proteger o ambiente”.