Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sun Wenguang foi silenciado enquanto dava uma entrevista em que criticava o Governo chinês

Sun Wenguang, de 84 anos, comentava os investimentos estrangeiros do Governo quando agentes da polícia invadiram a sua casa e o tiraram do ar. “O que estão a fazer? É ilegal virem a minha casa. Tenho direito à minha liberdade de expressão”, ouve-se na gravação disponibilizada pela estação de televisão que entrevistava o académico reformado

Sun Wenguang, de 84 anos, estava esta quarta-feira a dar uma entrevista ao serviço chinês da emissora Voice of America (VOA) quando a polícia invadiu a sua casa e o tirou do ar. O professor universitário aposentado, que tem sido uma voz crítica das autoridades de Pequim, comentava os investimentos estrangeiros do Governo.

Enquanto falava, ouviam-se vozes em fundo. “Cá estão eles outra vez... sete, oito deles. O que foi? Disse alguma coisa de errado? Oiçam o que eu digo. Está errado?”, perguntou, dirigindo-se aos agentes da polícia. Apesar da companhia, o professor prosseguiu: “As pessoas [na China] são pobres. Não atiremos o nosso dinheiro para África. Atirar assim dinheiro não é bom para o nosso país.”

Na gravação, que a VOA disponibilizou via Twitter, Wenguang ainda diz aos agentes: “O que estão a fazer? É ilegal virem a minha casa. Tenho direito à minha liberdade de expressão.” E é então que a ligação é cortada.

A entrevista foi realizada na sequência de uma carta aberta que o professor escreveu recentemente e em que criticava a decisão do Presidente Xi Jinping de gastar dinheiro em ajuda externa, empréstimos e investimentos. Wenguang aconselhava o chefe de Estado a concentrar-se nos gastos domésticos e criticava a sua decisão de acabar com a limitação do mandato presidencial.

Entre as décadas de 1960 e 1980, o professor de Física aposentado passou mais de dez anos dentro e fora da prisão por criticar o líder comunista Mao Zedong. Desde a interrupção abrupta da entrevista, a VOA diz que não consegue localizar Sun Wenguang.