Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alpinista resgatado após sete dias retido numa montanha na Nova Zelândia

Terry Harch, um soldado de 29 anos que estava de férias no país, terá escavado um abrigo na neve, para sobreviver. Foi salvo esta sexta-feira e está bem, apesar das queimaduras provocadas pelo frio

Foi resgatado esta sexta-feira um alpinista australiano retido há uma semana no Monte Aspiring, na Nova Zelândia. Terry Harch, de 29 anos, suportou temperaturas geladas durante vários dias e terá escavado um abrigo na própria neve, o que lhe pode ter garantido a sobrevivência, acreditam as equipas de salvamento.

O desaparecimento de Terry Harch, um soldado de 29 anos que estava de férias no país, foi reportado na segunda-feira, dia em que deveria ter regressado de uma expedição solitária.
Harch foi encontrado relativamente bem de saúde, apesar de apresentar algumas queimaduras pelo frio, tendo o resgate de helicóptero sido possível aproveitando uma breve melhoria nas condições climatéricas.

“É incrível” que tenha conseguido levantar-se e acenar para o helicóptero, afirmou à rádio New Zealand o coordenador do resgate, Geoff Lunt.

O final feliz deveu-se à colaboração entre a empresa norte-americana que recebeu o sinal de emergência emitido pelo alpinista, através do rádio, e o Centro de Resgate da Nova Zelândia, para onde o alerta foi encaminhado.

Os ventos fortes e a tempestade de raios que atingiram a região nos últimos dias dificultaram o salvamento, conta a “BBC”, pelo que a operação teve várias etapas. Depois de os equipamentos do alpinista - que incluíam um saco-cama, um pequeno fogão portátil e comida - terem sido encontrados numa tenda mais abaixo na montanha, a 3 mil metros de altitude, Harch foi localizado, esta quinta-feira. Mas o mau tempo não permitiu que fosse resgatado de imediato. As equipes de resgate chegaram até ele usando esquis, para prestar socorro e lhe entregar alimentos, até esta sexta puderam finalmente usar um helicóptero.