Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Arqueólogos descobriram as ruínas da mais antiga biblioteca da Alemanha

A Biblioteca de Celsus, na antiga Éfeso, hoje Turquia, foi uma das estruturas analisadas pelos arqueólogos alemães

Patrick Box/Getty

Enquanto escavam no local de uma antiga ingreja protestantes, arqueólogos alemães descobriram um edifício romano que pode ter chegado a conter cerca de 20 mil rolos de pergaminhos. É a biblioteca mais antiga da Alemanha

Arqueólogos e investigadores do Museu Romano-Germânico, na cidade de Colónia, acreditam ter encontrado a mais antiga biblioteca da Alemanha, possivelmente do século II AC. A própria cidade tem mais de 2.000 anos, por isso é relativamente comum tropeçar em descobertas arqueológicas impressionantes.

A estrutura tinha sido descoberta em 2017, durante escavações no local de uma antiga igreja protestante, e foi imediatamente claro que se tratava de um edifício de origem romana. Dirk Schmitz, um dos arqueólogos responsáveis pela escavação disse, citado pela BBC, que esta é “uma descoberta verdadeiramente extraordinária” já que o edifício pode ter sido a casa de mais de 20 mil rolos de pergaminhos.

“Ao início pensávamos ter descoberto um local de reuniões públicas mas as paredes eram pouco comuns, tinham reentrâncias que não costumamos ver em edifícios normais”, disse, citado pela BBC, o diretor do museu Marcus Trier. Essas aberturas tinham cerca de 80 cm de altura por 50 de largura.

Os arqueólogos compararam o que encontraram com outras estruturas antigas que também serviram de biblioteca e chegaram à conclusão de que esta estrutura reúne características muito parecidas com outras, como por exemplo a de Éfeso, hoje cidade de Selçuk, na Turquia.

“Levou algum tempo a entender aqueles pequenos espaços nas paredes, que eram demasiado pequenos para conterem estátuas. São muito vistos em bibliotecas antigas, tal como a de Celsus, em Eféso”, disse Schmitz.