Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump diz que procurador geral deve terminar a investigação ao alegado conluio com os russos

reuters

Não é a primeira vez que o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, critica a investigação que está a decorrer para averiguar se membros da sua equipa de campanha mantiveram contactos potencialmente danosos com cidadãos russos ligados ao Kremlin. Desta vez, porém, o ataque foi mais forte e Trump pediu mesmo que o procurador geral terminasse de uma vez com a “caça às bruxas”

Donald Trump parece ter perdido de vez a paciência para a investigação que as autoridades norte-americanas estão a conduzir às suspeitas de que membros da sua equipa possam ter estado em contacto com russos próximos do Kremlin, prejudicando assim o natural processo eleitoral norte-americano.

Esta quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos escreveu na rede social Twitter um dos mais fortes ataques à investigação que está a ser conduzida pelo procurador especial Robert Mueller. “É uma situação terrível e o Procurador Geral Jeff Sessions deveria pôr um fim a esta caça às bruxas imediatamente, antes que continue a manchar ainda mais o nosso país. Bob Mueller está completamente equivocado e os seus 17 democratas raivosos estão a fazer o seu trabalho sujo - uma vergonha para os EUA!”, escreveu Trump.

Num esclarecimento enviado à televisão ABC, o advogado de Trump, Rudy Giuliani, disse que o Presidente estava apenas a reforçar a sua opinião e não tem intenção de emitir uma ordem oficial para que Jeff Sessions ponha termo à investigação. “Há muito tempo que dizemos que é tempo de pôr fim a esta investigação. O Presidente expressou apenas a mesma opinião”, escreveu Giuliani.

“O Presidente estava apenas a expressar a sua opinião através de um dos seus meios preferidos, confirmando os direitos de liberdade de expressão que lhe são devidos sob a Primeira Emenda. Ele disse que [o Procurador] ‘devia’ e não ‘que tinha que’ [acabar com a investigação]”, disse ainda o advogado de Trump.

Não é a primeira vez que Trump critica a investigação, Mueller ou as motivações políticas da sua equipa. Também não é novidade que se arrependeu de nomear Sessions para Procurador Geral antes de saber que ele se recusaria a liderar a investigação, passando-a a Mueller, coisa que Trump quis evitar quando nomeou Sessions, um homem da sua confiança. Mas até agora não tinha havido ainda um pedido para que Sessions terminasse a investigação.