Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mulheres em protesto na Dinamarca contra proibição de véu islâmico em espaços públicos

Peter Macdiarmid/Getty Images

A proibição, que entra em vigor esta quarta-feira, foi aprovada em maio. O Governo dinamarquês juntou-se assim a outros países europeus na proibição do uso do véu, defendendo que este diminui o valor das mulheres. As multas variam entre as mil coroas dinamarquesas (cerca de 134 euros) para uma primeira infração e as 10 mil coroas para uma quarta transgressão

Muçulmanas e não-muçulmanas dinamarquesas protestam esta quarta-feira em todo o país contra a proibição de usar o véu islâmico em público. A proibição entra em vigor neste primeiro dia de agosto.

Em maio, o Governo dinamarquês juntou-se a outros países europeus na proibição do uso do véu, defendendo que este diminui o valor das mulheres, fazendo-as parecer cidadãs de segunda classe, o que entraria em confronto com os valores democráticos do país.

À luz da nova legislação, a polícia poderá instruir as mulheres a retirarem os seus véus ou obrigá-las a abandonar espaços públicos. O ministro da Justiça disse que as mulheres prevaricadoras seriam multadas. As multas variam entre as mil coroas dinamarquesas (cerca de 134 euros) para uma primeira infração e as 10 mil coroas para uma quarta transgressão.

Algumas muçulmanas que usam o véu juntaram-se para formar o movimento Kvinder I Dialog (Mulheres em Diálogo), que visa protestar e chamar a atenção para os motivos por que as mulheres deveriam poder expressar a sua identidade com o véu.