Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jornalistas mortos na República Centro Africana investigavam mercenários russos

Jornalistas assassinados na República Centro Africana estavam a investigar a eventual presença de mercenários da Rússia a operar no país

Mikhail Khodorkovsky, figura da oposição da Rússia, disse nesta quarta-feira que os três jornalistas russos assassinados na República Centro Africana estavam a investigar a eventual presença de mercenários da Rússia a operar no país. De acordo com as autoridades de Moscovo, os repórteres foram vítimas de uma emboscada e assassinados, no princípio da semana, na cidade de Sibut, República Centro Africana.

Khodorkovsky disse através de uma mensagem que publicou hoje na rede social Facebook que os jornalistas estavam envolvidos num projeto editorial com o título "Mercenários Russos". Os três repórteres investigavam uma empresa de segurança privada que opera na República Centro Africana e que, segundo Khodorkovsky, tem ligações a um empresário próximo do presidente russo Vladimir Putin.

As autoridades da República Centro Africana declararam que os jornalistas foram raptados por um grupo de 10 homens armados, que usavam turbantes e só falavam árabe. Mikhail Khodorkovsky, empresário do setor do petróleo esteve preso durante 10 anos na Rússia e atualmente vive exilado na Europa assumindo posições políticas contra o governo e o presidente russos.