Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Inundações em Myanmar deixam mais de 130 mil pessoas desalojadas

As cheias no Myanmar têm deixado os edifícios mais baixos debaixo de água e milhares de pessoas sem acesso às suas casas

YE AUNG THU/Getty

Cerca de 130 mil pessoas, 28 mil famílias, estão desalojadas em Myanmar devido à forte chuva que têm inundado várias povoações no sudeste do país. O Myanmar é dos países que mais sofre com fenómenos climatéricos extremos em todo o mundo

Mais de 130 mil pessoas ficaram desalojadas devido às inundações no sudeste de Myanmar (antiga Birmânia), onde o receio de que os diques rebentem devido à pressão de novas chuvas aumenta de dia para dia.

"Mais de 130 mil pessoas, de 28 mil famílias, estão desalojadas", afirmou um responsável do Ministério dos Assuntos Sociais, Phyu Lei Lei, citando números referentes à noite de terça-feira.

Muitos deslocados não estão em condições de ir para abrigos ou para as suas habitações inundadas, esperando que os níveis da água comecem a baixar. Uma grande superfície de terras agrícolas que abrange quatro províncias está coberta por água lamacenta trazida pelas enchentes, que fizeram até ao momento uma dezena de mortos.

As equipas de resgate tentam reunir as aldeias isoladas para levar comida às pessoas que se recusam a partir ou que são incapazes de deixar as suas casas. Acima da cidade de Madauk, na região de Bago, as águas estão a poucos centímetros do topo dos diques, que até agora resistiram, mas os habitantes locais temem que novas chuvas da monção provoquem um desastre.

"Se este dique não resistir à próxima enchente, muitas outras aldeias vão ficar em perigo", alertou o chefe de uma equipa de socorro, Hlaing Min Oo, numa entrevista à AFP, enquanto carregava um barco com comida para levar às vítimas das inundações. "Por enquanto, é pouco provável que o nível das águas baixe, lamentou.

Ordens de evacuação estão em vigor nas províncias de Bago, Karen, Mon e Taninthari, onde 36 barragens e reservatórios transbordam, segundo os órgãos de comunicação social estatais. Uma monção particularmente intensa atingiu a região, provocando chuvas torrenciais que levaram ao colapso de uma represa, na semana passada, no Laos, um desastre que fez dezenas de mortos e centenas de desaparecidos.

Todos os anos, a Birmânia é afetada por fortes enchentes. Em 2015, os climatologistas colocaram esta região no topo de uma lista global dos países mais afetados por fenómenos climatéricos extremos. Nesse mesmo ano, cerca de 100 pessoas morreram em inundações e centenas de milhares foram deslocadas para o interior do país.

Em 2008, perto de 138 mil pessoas morreram durante a passagem do ciclone Nargis, que devastou grande parte da costa birmanesa.