Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rússia denuncia novas sanções da UE de “ingerência nos assuntos internos”

A ponte de Kerch que liga a Rússia à Crimeia

ALEXANDER NEMENOV/Getty

Ministério dos Negócios Estrangeiros russo considera que Bruxelas permanece incomodada “pela livre escolha da população da Crimeia em apoiar a reunificação com a Rússia”

A Rússia acusou nesta terça-feira a União Europeia (UE) de "ingerência" nos seus assuntos internos após a imposição de sanções pela construção de uma ponte na Crimeia e advertiu sobre consequências para as empresas europeias instaladas em território russo. O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo considerou que Bruxelas permanece incomodada "pela livre escolha da população da Crimeia em apoiar a reunificação com a Rússia".

"Desde 2016 que a lista das sanções da UE é aumentada quase exclusivamente com nomes de cidadãos e entidades russas, e como não explicar esse facto, de uma ou de outra forma, com o desenvolvimento democrático e bem-sucedido da Crimeia e Sebastopol no seio da Federação russa", questionou o ministério em comunicado oficial. A nota acrescenta que "o pretexto [de Bruxelas] para uma nova intervenção nos assuntos internos" da Rússia é "meramente simbólico".

Moscovo considerou "lamentável" a decisão de sancionar seis empresas russas que participam na construção da ponte de Kerch, que une a Rússia à península anexada em 2014, e advertiu sobre consequências para as empresas europeias em território russo. A ponte foi inaugurada no passado dia 18 de maio.