Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Quatro pessoas mortas no Tajiquistão em ataque que envolveu atropelamento e esfaqueamento

getty

Sete ciclistas foram atacados na ex-república soviética do Tajiquistão no fim-de-semana passado e quatro deles não conseguiram sobreviver aos ferimentos provovados primeiro por um atropelamento e depois por múltiplos golpes com facas. O ataque foi reivindicado pelos extremistas islâmicos do Daesh

Dois cidadãos norte-americanos, um suíço e um holandês foram mortos no Tajiquistão num ataque que envolveu atropelamento e esfaqueamento e que já foi reivindicado pelo auto-proclamado Estado Islâmico (Daesh).

Os quatro homens estavam de visita ao país como turistas e faziam parte de um grupo de sete ciclistas. O Departamento de Estado dos Estados Unidos não confirma que se trate de uma ataque do Daesh, apesar de o grupo ter colocado na internet um vídeo em que alegadamente os cinco atacantes aparecem a jurar fidelidade aos terroristas. O governo tajique culpou o Partido da Renascença Islâmica, mas o líder já negou qualquer envolvimento no ataque.

O ataque aconteceu em Danghara, um pouco a sul da capital, Dushanbe. Os cinco suspeitos terão primeiro tentado atropelar o grupo e depois saído do carro para continuar o ataque através de múltiplas investidas com facas. Um quinto ciclista ficou ferido mas está livre de perigo, um outro está em estado de choque e o sétimo não sofreu ferimentos, disse, numa conferência de imprensa, o ministro do Interior Ramazon Rakhimzoda.

“Condenamos este ataque sem qualquer sentido e oferecemos as sinceras condolências às famílias das vítimas. Aos feridos desejamos uma recuperação rápida. Por causa de preocupações em relação à sua segurança não podemos partilhar detalhes sobre os cidadãos norte-americanos envolvidos no incidente”, disse o Departamento de Estado dos Estados Unidos em comunicado, citado pela NBC.

Um dos suspeitos foi preso enquanto outro foi morto. Três dos atacantes continuam em fuga, mas as autoridades norte-americanas estão a colaborar com a polícia local na tentativa de encontrar os culpados.