Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente da Nicarágua diz que encapuzados armados são “polícias voluntários”

MARVIN RECINOS / Getty Images

As forças paramilitares são identificadas como as principais responsáveis pelas mortes de entre 295 e 448 pessoas

O Presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, garantiu segunda-feira numa entrevista ao canal de televisão Euronews que os homens encapuzados com armas que atuam no âmbito de protestos contra seu Governo são "polícias voluntários".

Os encapuzados são "polícias voluntários", disse o chefe de Estado, apenas uma semana depois de ter negado publicamente que esses grupos, habitualmente denominados "paramilitares", agissem em nome do seu Governo.

De acordo organizações não-governamentais (ONG), estas forças paramilitares são identificadas como os principais responsáveis pelas mortes de entre 295 e 448 pessoas durante os protestos que têm agitado a Nicarágua desde 18 de abril.

Na mesma entrevista, Ortega contrariou o balanço realizado pelas ONG, garantindo que o número real de mortos desde que começou a onda de violência em abril é de 195.

Segundo o presidente, as organizações de direitos humanos somam tanto as vítimas mortais dos confrontos como a média de "dois [mortos] diários" que já eram contabilizados antes da crise, o que dá, sublinhou, "180 a mais".

Ortega descartou a possibilidade de antecipar as eleições que estão previstas para 2021, uma revindicação de vários setores da sociedade e da própria comunidade internacional.

Na opinião do Presidente da Nicarágua, a antecipação das eleições estabeleceria um precedente e levaria o país à anarquia.