Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Daesh reivindica ataque que matou quatro turistas estrangeiros no Tajiquistão

Conferência de imprensa com o ministro da Administração Interna do Tajiquistão

SHODMON KHOLOV/AFP/Getty Images

Dois ciclistas americanos, um suíço e um holandês morreram no domingo ao serem atropelados a cerca de 70 quilómetros da capital Duchambé. Esta é a primeira vez que o Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) assume responsabilidade por um ataque no país. 2018 tinha sido declarado “o ano do turismo” no Tajiquistão

O Daesh reivindicou o ataque de domingo no Tajiquistão, que matou quatro turistas estrangeiros. Dois ciclistas americanos, um suíço e um holandês morreram ao serem atropelados a cerca de 70 quilómetros da capital Duchambé. Três outros turistas ficaram feridos.

Esta é a primeira vez que o Daesh assume responsabilidade por um ataque no país, ainda que nenhuma prova tenha sido apresentada. Não se conhece uma presença do grupo jiadista no Tajiquistão, mas há membros naquele e noutros países da Ásia Central. No passado, as autoridades tajiques prenderam alegados recrutas e simpatizantes do Daesh.

Segundo o ministro tajique da Administração Interna, Ramazon Rahimov, três dos turistas tiveram morte instantânea, enquanto o quarto morreu a caminho do hospital. Dos outros três turistas, que ficaram feridos, um deles “apresentava ferimentos de faca, recebeu apoio médico e encontra-se agora estável”, informou ainda o governante.

2018, “o ano do turismo” no Tajiquistão

Dois suspeitos de envolvimento no caso foram mortos pelas autoridades numa operação especial. Outros quatro foram presos e um carro danificado, que se acredita ter estado envolvido, foi recuperado.

Desde que se tornou independente em 1991, o Tajiquistão tem lutado contra a pobreza e a instabilidade. A antiga república soviética tinha declarado 2018 como “o ano do turismo”.