Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Abuso sexual em instituções de relevo nos EUA continua a ser denunciado

Até agora, já são quatro as mulheres que apresentaram queixas, dizendo que foram violadas por atuais e antigos membros de uma fraternidade informal, isto é, não reconhecida oficialmente

Os casos de abuso sexual continuam a derrubar dirigentes e a envolver instituições de renome nos EUA, chegando agora à agência de proteção civil (FEMA, na sigla em inglês) e à Universidade Stockton, em Galloway, no Estado da Nova Jérsia.

Na FEMA, o antigo diretor do serviço de pessoal teve relacionamentos sexuais impróprios com subordinadas e criou um ambiente laboral "tóxico", que incluiu dar um tratamento preferencial aos membros de uma fraternidade que integrava, segundo um resumo de uma investigação interna a que a Associated Press teve acesso.

Em Galloway, mais duas mulheres apresentaram queixas federais, alegando que a Universidade é responsável em parte pelos ataques sexuais que sofreram, alegando que dirigentes universitários fecharam os olhos às práticas de uma fraternidade, cujos membros são conhecidos pelo consumo de álcool, apesar de alguns serem menores, e mau comportamento sexual.

Até agora, já são quatro as mulheres que apresentaram queixas, dizendo que foram violadas por atuais e antigos membros de uma fraternidade informal, isto é, não reconhecida oficialmente, designada Pi Kappa Phi, da Universidade Stockton, em Galloway, Nova Jérsia.

Dirigentes da FEMA detalharam que Corey Coleman se demitiu em 18 de junho, enquanto decorria a investigação. A investigação preliminar começou em janeiro e terminou na sexta-feira.