Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump diz estar disponível para se encontrar com o Presidente iraniano

MANDEL NGAN/GETTY IMAGES

“A qualquer altura e sem quaisquer condições”, acrescentou Donald Trump

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

O presidente norte-americano disse esta segunda-feira estar disponível para se encontrar com o seu homólogo iraniano, Hassan Rouhani, garantindo que quando chegar esse momento não irá impor “quaisquer condições”.

“Se eles quiserem encontrar-se comigo, não me oporei. Estou disponível para um encontro a qualquer altura”, afirmou Donald Trump, acrescentando que isso seria “positivo para eles”, para os EUA e “para o mundo”. Faz precisamente esta segunda-feira uma semana que o Presidente norte-americano exigiu ao Governo iraniano que não volte a “ameaçar” os EUA sob pena de sofrer “consequências como poucos conheceram ao longo da história”, depois de Hassan Rouhani ter dito a Trump para não “brincar com a cauda do leão” (expressão idiomática persa que em português equivale a “não brincar com o fogo”) porque um conflito com o Irão seria a “mãe de todas as guerras”.

Face a isso, mas também a outras disputas entre os dois líderes, não é claro o que dirá o Irão sobre a proposta de Trump. Em julho, o chefe de gabinete de Rouhani, Mahmoud Vaezi, disse que o Presidente norte-americano já solicitou um encontro com o governo iraniano oito vezes e das oito vezes recebeu um “não” como resposta. Questionado esta segunda-feira sobre os pedidos rejeitados, Mike Pompeo, secretário de Estado, disse não querer comentar conversas privadas que podem ou não ter acontecido, mas garantiu estar alinhado com Trump no que toca a um encontro com o Irão.

Em entrevista ao programa da CNBC “Closing Bell”, Pompeo estabeleceu, contudo, algumas condições para a realização do tal encontro, nomeadamente no que diz respeito a um novo acordo nuclear. “Se o Governo se comprometer a fazer mudanças na forma como trata o seu povo e se concordar com um acordo que impeça de facto a proliferação de armas nucleares, então o Presidente poderá sentar-se à mesa com Rouhani e conversar com ele”, afirmou o secretário de Estado norte-americano.

Trump anunciou recentemente a saída dos EUA do acordo nuclear assinado com o Irão, com o objetivo de impedir que o país adquirisse armas nucleares e o regresso das sanções norte-americanas. Já na conferência de imprensa desta segunda-feira, no seguimento de uma reunião com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, Trump disse estar disponível para “trabalhar em conjunto em algo significativo” e que, ao contrário do acordo, “não seja uma perda de tempo”.

Depois, invocou os recentes encontros com o líder norte-coreano, Kim Jong Un e o Presidente russo, Vladimir Putin, para demonstrar a importância dos acordos bilaterais. “Não há nada de errado em encontros como este, sobretudo quando há guerra, mortes e fome envolvidas”. Trump deu particular ênfase ao encontro com o líder da Coreia do Norte. “Nos últimos nove meses, não houve um único míssil disparado e asseguramos, além disso, a libertação dos nossos prisioneiros. Muitas coisas positivas aconteceram”.

As comparações não são de agora e também sobre isso já falou Mahmoud Vaezi, o chefe de gabinete do Presidente iraniano. “Nós não cedemos à pressão. Trump deveria saber que o Irão é bastante diferente da Coreia do Norte”.