Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ex-advogado de Trump diz que ele sabia de interferência russa na campanha eleitoral

Drew Angerer

Michael Cohen, que tratava de pagamentos feitos a mulheres pelo atual presidente, publicou entretanto a gravação em que os dois tratam de um caso desse tipo

Luís M. Faria

Jornalista

O atual advogado de Donald Trump, Rudy Giuliani, disse que o também advogado Michael Cohen, ex-mandatário de Trump durante anos, é um "mentiroso patológico". O insulto segue-se à afirmação, feita por Cohen, de que o presidente sabia que os seus filhos se iam encontrar com uma advogada russa na Trump Tower durante a campanha.

A advogada, ligada ao Kremlin, garantia ter informações comprometedoras sobre Hillary Clinton, e Cohen desmente frontalmente a negativa do presidente em relação ao seu conhecimento do assunto. Isto um dia depois de Cohen ter publicado uma gravação em que ele e Trump discutem o pagamento a fazer a Karen McDouglal, outra mulher com quem Trump terá dormido. E de se ter ficado a saber que os investigadores federais estão na posse de mais de 100 gravações de Cohen a falar com os seus clientes ao telefone. Ele preferia esse método a tirar notas.

"Eu esperava alguma coisa assim, ele tem andado a mentir todas as semanas. Anda a mentir há anos", disse Giuliani sobre as últimas declarações de Cohen, aparentemente esquecendo que este foi advogado de Trump durante anos. De qualquer modo, o tom é significativo. No meio das polémicas sobre os vários escândalos em torno de Donald Trump, desde o alegado envolvimento da Rússia na sua campanha presidencial aos pagamentos que ele terá feito a mulheres com quem dormiu a troco do seu silêncio, algumas das piores acusações estão a ser dirigidas por advogados a advogados.

Além de Cohen, Giuliani chamou "mentiroso patológico" a Michael Avenatti, mandatário da atriz (e empresária) porno Stormy Daniels, a quem acusa de não ter honorabilidade para atacar o presidente. Avenatti, por sua vez, chama "despiste de combóio" a Giuliani, que tem defendido declarações ocasionalmente comprometedoras para o seu cliente, e às vezes muda a sua versão dos factos em dias consecutivos.

Depois de Giuliani atacar Cohen, o advogado deste, Lanny Davis (ele próprio atacado por ter sido advogado de Bill Clinton quando este era presidente), contra-atacou sugerindo que a partir de agora é guerra. "Não vamos deixar que Giuliani difame e distorça", explicou. "De vez em quando, vamos ter sorte e há uma gravação...". As próximas semanas vão ser animadas.