Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Em Londres um simples olhar pode desencadear um tiroteio

DANIEL LEAL-OLIVAS

A capital britânica debate-se com um aumento preocupante de casos de crimes violentos, muitos deles ligados a guerras territoriais entre gangues

Paulo Anunciação

Paulo Anunciação

Correspondente em Londres

No bairro social de North Woolwich, na zona Leste de Londres, as paredes metálicas de cor azul-cobalto da academia Fight for Peace (Luta pela Paz) sobressaem entre os blocos de tijolo de sete andares e as videocâmaras de segurança. Luta pela Paz é uma organização criada pelo antigo pugilista amador universitário Luke Dowdney, no início do século, nas favelas do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Em 2007, o britânico Dowdney abriu uma filial em Londres. A academia de North Woolwich, encravada entre o rio Tamisa e o City Airport de Londres, tem o mesmo objetivo da academia-mãe brasileira: manter os jovens longe das ruas e dos gangues criminosos através da prática de boxe e artes marciais. A academia também tem programas educativos e de apoio médico e social.

Fight for Peace trabalha com cerca de 1300 jovens todos os anos. Cada dia 60 ou 70 rapazes e raparigas, quase todos adolescentes, visitam os ginásios desta instituição sem fins lucrativos e sobem para os ringues para treinar. As paredes, pintadas no mesmo azul-cobalto, têm bandeiras enormes do Reino Unido e do Brasil. Numa tarde abafada da semana passada, as gargalhadas e as conversas bem-dispostas dos membros da academia ouviam-se aqui e ali entre os guinchos constantes das botas, os gritos dos treinadores e o som das pancadas secas e ritmadas das luvas nos sacos de boxe. Os jovens sabem que dentro desta academia da zona Leste de Londres estão a salvo e longe do perigo das ruas da capital. Mas nunca tão longe assim.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI