Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Facebook impedido de fornecer almoços gratuitos aos empregados

A cafetaria da sede do Facebook em Menlo Park, na Califórnia

ROBYN BECK/Getty

É uma imposição das autoridades locais para proteger a indústria da restauração

Luís M. Faria

Jornalista

No outono, o Facebook vai abrir mais um complexo de escritórios em Mountain View, na Califórnia, a 12 quilómetros da sua sede e com espaço para mais 2.000 empregados. No entanto, desta vez haverá uma diferença fundamental. Ao contrário do que acontece em Menlo Park, os empregados dos novos escritórios não vão poder comer almoços de graça fornecidos pela empresa. Motivo: uma proibição imposta pelas autoridades locais.

Comida gratuita é um de muitos benefícios tradicionalmente associados a empresas desse tipo, até por ser uma forma de manter os empregados dentro do edifício, evitando perder concentração e tempo de trabalho. O problema é que a indústria local da restauração perde bastante com esta situação. "Muitas destas companhias proclamaram o estímulo que os seus empregados iam dar à economia local", explica um supervisor de São Francisco, "apenas para lhes fornecerem tudo a toda a hora, desde comida gourmet até limpeza a seco no local".

A representação de uma associação local de restaurantes reforça o ponto: "Empregados que nunca saem dos seus escritórios pouco beneficiam economicamente a cidade à sua volta, se as suas empresas não compram comida nos negócios locais".

A solução de compromisso, a haver uma, será essa: manter um espaço comum de refeições, mas com comida adquirida em empresas locais de restauração. É o que já fazem outras empresas de Silicon Valley. Entre outros motivos, para serem coerentes com o ethos de sustentabilidade que dizem perfilhar.