Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump tem 12 mil milhões para os agricultores que possam vir a sofrer perdas com a guerra comercial

Alex Wong / EPA

São mais de dez mil milhões de euros (12 mil milhões de dólares) que o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer dar aos agricultores do país para compensar perdas potenciais com a imposição de taxas à importação de produtos norte-americanos

A Administração Trump tem planos para disponibilizar 12 mil milhões de dólares de ajuda para os agricultores que possam vir a sofrer “taxas retaliatórias”. À luz da “guerra” que Trump abriu à importação de produtos estrangeiros, impondo sobre estes tarifas pesadas, a Administração teme que os países alvo das medidas protecionistas norte-americanas possam também a taxar a importação de produtos norte-americanos.

O plano, que já estava a ser pensado há vários meses, atua em várias frentes, segundo três pessoas conhecedoras do processo que falaram com o jornal Politico. Primeiro, serão estudadas compensações monetárias aos agricultores que sofram de imposição de tarifas sobre os seus produtos (soja, milho, trigo e produtos lácteos estão entre as colheitas mais afetadas), seguidamente será autorizado um programa de compra, por parte do Estado, dos excedentes de produção e serão também estudados novos mercados para a colocação dos produtos norte-americanos.

As zonas onde estas ajudas mais serão necessárias, escreve o mesmo jornal, são também aquelas em que a concentração de eleitores republicanos mais se nota nos mapas eleitorais. Os analistas dizem que o Presidente está a querer evitar que o impacto mais forte da luta comercial contra a China e com a União Europeia seja sentido junto do eleitorado que lhe interessa. É que a retaliação já começou com alguns dos mais simbólicos produtos norte-americanos, como as calças de ganga, o bourbon ou as motas Harley Davidson, a serem taxados pelos parceiros europeus.

Algumas vozes críticas dentro do próprio partido republicano já vieram criticar os planos de Trump, que esta semana anda em digressão pelo Missouri, Illinois e Iowa. Ben Sasse, republicano do Nebraska, disse que as ajudas planeadas não eram mais do que “muletas de ouro” e que a posição negocial de Trump era fraca e poderia levar os Estados Unidos a uma situação económica parecida com aquela que causou a Grande Depressão.

“Os agricultores norte-americanos não querem ser pagos para perder - querem ganhar porque são eles que alimentam o mundo. As tarifas impostas por esta administração não vão fazer a América Grande outra vez - vão levar a América de regresso a 1929 outra vez”, disse em comunicado o republicano referindo-se ao slogan “Make America Great Again”, que Trump, de resto, adaptou para “Make Our Farmers Great Again” (qualquer coisa como “Vamos tornar os Agricultores Grandes Outra Vez”) para esta sua visita pelo Midwest.

“Vamos fazer dos nossos agricultores grandes outra vez. É isso que vai acontecer”, disse Trump apresentando novos bonés com o “slogan”.