Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Autoridades gregas apelam à utilização de linha de emergência

VALERIE GACHE/GETTY

Objetivo é dar resposta aos familiares com parentes desaparecidos. Autoridades alertam para a possibilidade de existirem mais vítimas

As autoridades gregas apelaram esta terça-feira à utilização da linha de emergência para dar resposta aos familiares com parentes desaparecidos, na sequência dos incêndios que lavram há várias horas na região de Ática.

Segundo a imprensa local, há receio de que o número de vítimas, atualmente fixado em pelo menos 60 mortos e 172 feridos, possa aumentar face ao elevado número de desaparecidos. Vários cadáveres foram encontrados ao longo da manhã desta terça-feira, nomeadamente no mar, junto à costa de Artemida.

Entre as vítimas, existem 16 crianças e 11 adultos que se encontram hospitalizados em estado crítico, refere a agência AP, que cita informações das autoridades. As chamas continuam fora de controlo nos arredores de Atenas e os hospitais estão em alerta.

Entretanto, várias organizações não-governamentais (ONG) e a secretaria-regional de Ática estão a pedir donativos, bens alimentares e meios de primeiros socorros para ajudar as vítimas dos incêndios e desalojados.

Um supermercado e vários bares e cafés do município de Rafina estão a oferecer alimentos e refeições, enquanto hotéis e pensões estão a ceder abrigo, refere o “Ekathimerini”.

O inverno seco, as altas temperaturas e o vento que se estão a fazer sentir em Atenas favorecem a ocorrência de incêndios próximo da capital. As autoridades gregas já solicitaram ajuda à União Europeia, tendo vários países manifestado disponibilidade para ceder meios e elementos para o combate aos incêndios.

Alexis Tsipras reconheceu que o país está a viver uma “grande tragédia”, tendo decretado três dias de luto nacional. As bandeiras nacionais já foram colocadas em meia-haste nos vários edifícios públicos.