Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sete soldados mortos depois de ataque com carro-bomba na Somália

O ambiente em Sanguni é relativamente calmo após o ataque desta manhã e as forças do governo tomaram o controlo da cidade

Pelo menos sete soldados foram mortos num ataque com um carro-bomba numa base militar na cidade de Sanguni, no sul da Somália, organizado pelo movimento 'jihadista' Al Shabab. O "Al Shabab tentou atingir a nossa base em Sanguni através da explosão de um camião", explicou à agência EFE o comandante da segurança do acampamento militar, Abdullahi Hussein Halane, confirmando a morte de sete soldados.

As forças do governo derrubaram o veículo dos 'jihadistas' antes que ele chegasse à base militar, afirmou Halane. O número de mortos ainda é incerto, uma vez que as forças de segurança dizem que são sete e o Al Shabab afirma que são 27, mas ainda não há nenhuma confirmação devido às restrições de comunicação na área de ataque.

O ambiente em Sanguni é relativamente calmo após o ataque desta manhã e as forças do governo tomaram o controlo da cidade, acrescentou Halane.

A Somália é um alvo frequente de ataque do Al Shabab, sofreu em outubro de 2017 o pior ataque da sua história: um ataque em Mogadíscio com camiões bomba que resultou em 512 mortos. De acordo com os analistas locais, os problemas internos do governo e o seu distanciamento da liderança do exército permitiram aos 'jihadistas' recuperar a capacidade de atacar em larga escala.

A organização terrorista, que se filiou à rede internacional Al Queda em 2012, controla parte do território no centro e no sul do país e visa instaurar na Somália um Estado Islâmico. A Somália está em estado de guerra e vive uma situação de caos desde 1991, quando foi derrubado o ditador Mohamed Siad Barre, que deixou o país sem um governo efetivo e nas mãos dos radicais islâmicos e de bandos de criminosos armados.