Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jovem de 16 anos presa na Indonésia por fazer aborto depois de violada pelo irmão

As mulheres que escolhem terminar a gravidez ainda sofrem consequências duras na Indonésia, incluindo as menores de idade

Aditya Irawan/Getty

Apesar de ser menor e de ter sido violada repetidas vezes pelo irmão, uma jovem de 16 anos vai enfrentar uma pena de prisão de seis meses por ter feito um aborto

Uma jovem de 15 anos vai cumprir uma pena de prisão de seis meses por ter feito um aborto depois de ser repetidamente violada pelo seu próprio irmão, decidiu o tribunal o tribunal de Muara Bulian, na ilha de Sumatra, segundo avança a cadeia televisiva CNN. O rapaz, de 17 anos, que violou a irmã oito vezes ao longo de um ano, vai cumprir dois anos por ofensas sexuais a um menor, referiu à comunicação local o juiz do caso, Listyo Arif Budiman.

Alguns académicos e membros de grupos de defesa dos direitos das mulheres expressaram o desagrado quanto a esta sentença. Foi o caso de Maidina Rahmawati, do Instituto para Reforma da Justiça.

“A rapariga é uma vítima e não deveria ser presa. O aborto ainda é um crime na Indonésia mas as diretrizes legais obrigam os juízes a olhar com especial atenção para casos que envolvam mulheres vítimas de agressão sexual por serem particularmente complexos”, explicou a especialista à CNN. Na sua opinião, neste caso essas diretrizes não foram observadas, além de que muitas vezes “os procuradores não olham com a atenção necessária para entenderem o que se passa por detrás de cada caso”, acrescentou.

Os dois irmãos vão cumprir pena numa instituição que reabilita jovens para a reintegração social.