Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jordânia tenta coordenar com a Rússia o regresso de refugiados sírios

China News Service / Getty Images

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Governo de Amã, Ayman Safadi, abordou a questão dos refugiados sírios num contacto telefónico com o homólogo russo, Serguei Lavrov

O Governo jordano está a tentar coordenar com a Rússia o processo de regresso de 650 mil refugiados sírios refugiados na Jordânia desde o início da guerra civil na Síria, em 2011.

De acordo com a agência de notícias oficial jordana Petra, o ministro dos Negócios Estrangeiros do governo de Amã, Ayman Safadi, em contacto telefónico com o homólogo russo, Serguei Lavrov abordou o futuro processo relacionado com os refugiados sírios.

Os dois ministros falaram também dos "últimos acontecimentos na Síria e dos esforços em curso para uma solução pacífica".

Safadi comunicou a Lavrov a operação de retirada para a Jordânia de 422 cidadãos sírios que se encontravam nos Montes Golã, território ocupado por Israel desde 1967.

Os sírios que se encontravam nos Montes Golã, maioritariamente trabalhadores da Defesa Civil ("Capacetes Brancos") - grupos de resgate que operam nas zonas controladas pelo regime de Damasco - vão ser recebidos pela Alemanha, Canadá e Reino Unido nos próximos três meses.

Recentemente, a Jordânia abriu também a fronteira a refugiados sírios, vítimas da ofensiva de Damasco na província de Deraa, que se encontrava encerrada desde 2017.