Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grécia pede ajuda à União Europeia para combater incêndios florestais

ANGELOS TZORTZINIS/Getty

Seis pessoas foram hospitalizadas na sequência de queimaduras causadas pelo incêndio que assolou o nordeste de Atenas

A Agência de Proteção Civil da Grécia anunciou nesta segunda-feira que o país vai pedir ajuda à União Europeia (UE) para combater os incêndios florestais que lavram perto da capital, Atenas, os quais já causaram queimaduras em seis pessoas. Segundo a agência de notícias norte-americana Associated Press (AP), o pedido formal de ajuda à UE para o envio de meios, com vista a combater os incêndios florestais que já destruíram casas e forçaram milhares de pessoas a fugirem dos arredores de Atenas, foi enviado ao final da tarde de hoje.

A porta-voz dos Bombeiros disse à AP que seis pessoas foram hoje hospitalizadas, na sequência de queimaduras causadas pelo incêndio que assolou o nordeste de Atenas, na área de Penteli, mas ainda é desconhecido o seu estado de saúde. Três dos maiores hospitais de Atenas estão em alerta para receber mais vítimas, se necessário.

As autoridades regionais gregas declararam o estado de emergência nas partes leste e oeste da grande Atenas, à medida que os incêndios provocados pelos ventos fortes se espalharam pelas florestas de pinheiros e pelas cidades junto ao litoral, em ambos os lados da capital grega.

Um primeiro incêndio florestal deflagrou hoje a nordeste de Atenas, na área de Penteli, estendendo-se à cidade de Rafina. Na cidade vizinha de Mati, a guarda costeira enviou um barco de patrulha para retirar as pessoas de uma praia que ficou cercada pelas chamas.

O segundo incêndio devastou florestas montanhosas de pinheiros, a 50 quilómetros a oeste de Atenas. O incêndio criou uma nuvem de fumo tão espessa que as principais vias rodoviárias entre o Peloponeso (extensa península no sul da Grécia) e Grécia continental, foram fechadas e uma nuvem alaranjada abateu-se sobre Atenas.