Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Autoridades canadianas anunciam morte de segunda vítima do ataque em Toronto

No domingo, um homem que caminhava por uma rua de Toronto atingiu a tiro 14 pessoas que estavam em restaurantes e cafés, antes de ser morto numa troca de tiros com a polícia

Uma segunda pessoa morreu vítima do ataque de domingo em Toronto, em que um homem disparou e atingiu 14 pessoas em cafés e restaurantes na cidade, anunciou nesta segunda-feira a porta-voz da polícia local, Meaghan Gray. A porta-voz disse hoje que uma segunda pessoa morreu na sequência do ataque de domingo, mas não forneceu mais detalhes sobre a vítima.

No domingo, um homem que caminhava por uma rua de Toronto atingiu a tiro 14 pessoas que estavam em restaurantes e cafés, antes de ser morto numa troca de tiros com a polícia. O chefe de polícia, Mark Saunders, não descartou que o motivo seja terrorismo, embora as autoridades não tenham identificado imediatamente o agressor, referindo apenas que tinha 29 anos.

Anteriormente, Saunders disse que uma jovem morreu no tiroteio de domingo e que uma rapariga de 8 ou 9 anos estava em estado crítico. As condições das outras vítimas ainda não são conhecidas. "Este é um ataque contra famílias inocentes e toda a nossa cidade. É uma tragédia, uma outra tragédia na nossa cidade este ano", disse hoje o autarca de Toronto, John Tory, numa reunião do conselho municipal.

Tory prometeu uma "resposta" rápida ao tiroteio, dizendo que "muitas pessoas carregam armas" na cidade de Toronto. "Esta cidade tem um problema com as armas, pois estas estão prontamente disponíveis para muitas pessoas", declarou Tory, embora a legislação canadiana seja muito mais severa do que nos Estados Unidos, por exemplo.

O autarca de Toronto indicou ainda a sua intenção de abordar as autoridades federais e provinciais para "discutir questões de segurança pública o mais rapidamente possível".