Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Qual é coisa qual é ela, que aparece quando se escreve “idiota” no Google?

Valery Sharifulin/TASS/Getty Images

Donald Trump admitiu interferência da Rússia nas presidenciais norte-americanas de 2016. A publicação de artigos e textos em blogues alteraram o algoritmo: agora, quando se procura a palavra “idiot” (idiota em português), aparece o Presidente dos Estados Unidos

O Google, aquela engenhoca que tudo descobre, também sabe ser malandro, mesmo que seja sem querer. Contam-nos vários jornais internacionais que basta fazer uma pesquisa nesse motor de busca pela palavra “idiot” (idiota em português) para surgir a cara de Donald Trump em quase todos os resultados.

Decidimos por isso percorrer uma lista de adjetivos e substantivos para testar a brincadeira e ver se mais alguém sofria deste acaso oferecido pelo algoritmo de serviço.

O resultado é praticamente uma mão cheia de nada. Em “milionário” surgiram algumas fotografias de Leonardo di Caprio no filme “Lobo de Wall Street”. Por “génio”, Einstein surgiu em algumas janelas. Escrevendo a palavra “dude” -- okay, esta roça a batota -- apareceu o personagem principal do filme “The Big Lebowski”. Com “wise man” quase fomos enganados, pois intrigou o cromo repetido de um senhor nascido há quase 90 anos. Afinal, era Frederick Wiseman, o cineasta norte-americano.

BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/Getty Images

Com “idiot”, de facto, o campeão é Donald Trump, o 45.º Presidente dos Estados Unidos. E isto acontece graças à publicação em massa de textos em blogues e outras plataformas online, em reação à admissão da ingerência russa nas eleições dos EUA, que terão usado essa palavra para etiquetar o tema. O Google passou então a associar Trump a “idiot”.

Segundo este artigo do El Mundo, Trump nem é o primeiro residente da Casa Branca a sofrer com este algoritmo. George W. Bush, por exemplo, aparecia nos ecrãs de quem pesquisava por “fracasso miserável”. A crítica, escrita em sites da Internet, era direcionada para a sua biografia oficial, mas foi o seu nome que ficou associado àquela expressão. Também Silvio Berlusconi sentiu na pele o que era ser um “buffone” (bobo da corte). Literalmente neste caso.