Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente da Nicarágua acusa bispos de “conspiração” e de atuarem como “golpistas”

INTI OCON/AFP/Getty Images

“Lamento que os meus bispos se tenham comportado como golpistas, que se tenham desqualificado como mediadores, como testemunhas [no diálogo], porque a mensagem deles era o golpe”, disse Presidente da Nicarágua, Daniel Ortega

O Presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, acusou na quinta-feira os bispos do país de participarem numa "conspiração" para o destituir do cargo e de terem atuado como "golpistas", durante a comemoração do 39.º aniversário da revolução de 1979.

"Lamento que os meus bispos se tenham comportado como golpistas, que se tenham desqualificado como mediadores, como testemunhas [no diálogo], porque a mensagem deles era o golpe", disse em Manágua, o chefe de Estado de 72 anos numa cerimónia que reuniu milhares de partidários.

Os bispos da Nicarágua têm atuado como mediadores entre o Governo e a oposição na crise política que, nos últimos três meses, regista mais de 280 mortos e cerca de dois mil feridos.

A Conferência Episcopal da Nicarágua (CEN), presidida pelo cardeal Leopoldo Brenes, apelou a uma reforma do poder e à organização das primeiras eleições gerais em 2019, em vez de 2021 (quando termina o mandato de Ortega). O Presidente da Nicarágua rejeitou sempre estas propostas.