Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Donald Trump foi secretamente gravado a discutir pagamentos a uma modelo da Playboy

Scott Olson/Getty

O ex-advogado de Donald Trump, Michael Cohen, está a revelar-se um problema cada vez maior para o Presidente dos Estados Unidos - e não necessariamente por querer. Quando o FBI lhe revistou o escritório, encontrou uma gravação comprometedora para o inquilino da Casa Branca

Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos, foi gravado, sem saber, a discutir potenciais pagamentos a uma ex-modelo da Playboy que garantiu ter tido um caso com ele. O episódio, revelado pelo "The New York Times" aconteceu pouco antes das eleições presidenciais de 2016, que Trump acabou por vencer. A culpa é do seu advogado de longa data, Michael Cohen, que gravou a conversa sem conhecimento do agora Presidente, possivelmente sem saber que, dois anos passados, o FBI faria buscas ao seu escritório e residência, levando, entre outros documentos e provas, a comprometedora gravação.

As autoridades norte-americanas não estavam à procura de qualquer indício relacionado com os alegados casos amorosos de Donald Trump, mas de eventuais provas sobre as suspeitas de fraude eleitoral, mais especificamente relacionadas com o uso danoso de fundos federais.

Rudy Giuliani, ex-mayor de Nova Iorque e agora um dos advogados de Trump, já confirmou ao diário nova-iorquino que a gravação existe e que nela se ouve, de facto, o Presidente a discutir pagamentos a Karen McDougal, que garante ter tido um caso com Trump pouco depois do nascimento do filho mais novo, em 2006.

Esta gravação é mais uma prova de que Cohen, um guardador de segredos de Trump, pode estar na posse de material prejudicial para o Presidente e cada vez mais disponível para colaborar com as autoridades.