Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tem quase 5 quilómetros e pode receber 20 mil pessoas. O hotel pensado por Hitler vai finalmente abrir

Sean Gallup

O hotel Prora, na ilha Rugel, no Mar Báltico, foi mandado construir no final da década de 1930. O colossal edifício ficou por estrear porque, entretanto, começou a Segunda Guerra Mundial

Tem uma frente que mede quase cinco quilómetros e a ideia inicial era a de poder receber 20 mil hóspedes. O hotel Prora, em Binz, foi o resort encomendado por Adolf Hitler na década de 30 do século passado. Ficou tudo por estrear, pois a Segunda Guerra Mundial acabaria por estalar. O luxo e o descanso dariam lugar a um refúgio para aqueles que fugiam dos bombardeamentos dos aliados.

Muitos anos depois, este estabelecimento idealizado nos tempos do nazismo vai finalmente abrir ao público, conta o Daily Star. O colossal hotel, construído entre 1936 e 1939, é agora substituído por apartamentos, restaurantes, lojas, um hotel mais humilde e um hostel para os clientes mais jovens.

O Prora, que ganhou um prémio de arquitetura em Paris em 1937, estica-se ao longo de seis andares e mora ao lado da praia, na ilha de Rugel, no Mar Báltico.

STEFAN SAUER

Apesar do interesse que deverá gerar, e das taxas turísticas já em cima da mesa (cada pessoa pagará €2.85 por dia), há quem esteja preocupado com a maneira como o processo tem sido gerido.

Katka Lucke, ouvida pelo jornal britânico, teme que as pessoas amenizem a imagem que se tem dos nazis, como se, afinal, houvesse algo de bom desses tempos. A artista que tem uma exposição naquele hotel considera “perturbadora” a forma como tem sido comunicada a abertura do espaço.

Lucke, que censura a “abordagem acrítica”, está preocupada com o crescimento da extrema-direita na Alemanha, por isso defende que é importante que Prora tenha uma memória e uma história.