Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Susan Sarandon: “Fui presa. Mantenham-se fortes. Continuem a luta”. #AsMulheresDesobedecem

A premiada atriz norte-americana sempre esteve envolvida em protestos pelos direitos das minorias e também em defesa do ambiente

Pacific Press/Getty

Susan Sarandon, atriz norte-americana, foi presa esta sexta-feira com outras 575 pessoas, enquanto protestava contra a política “tolerância zero” que a Administração de Donald Trump tem mantido em relação à imigração ilegal

A atriz norte-americana Susan Sarandon e a deputada democrata Pramila Jayapal estão entre as 575 pessoas que esta sexta-feira foram presas enquanto se manifestavam em frente ao Departamento de Justiça, em Washington, contra as políticas de controlo apertado da imigração defendidas por Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos.

Depois de uma marcha, o protesto culminou com a ocupação do relvado de um dos edifícios pertencentes ao Senado norte-americano, o Hart Building, onde centenas de mulheres se embrulharam em papel de alumínio em protesto contra as condições em que os filhos dos imigrantes que entraram nos Estados Unidos de forma ilegal são mantidas, sem agasalhos, apenas com estas folhas gigantes, em prisões semelhantes a jaulas, separadas dos pais. Segundo os números da própria Adminstração norte-americana, apenas nos últimos dois meses, mais de 2000 crianças foram separadas dos seus pais ao chegarem à fronteira.

Susan Sarandon, que ganhou um Óscar, em 1995, como atriz principal no filme "Dead Man Walking" ["A Última Caminhada"], é conhecida pelos papéis que já representou no grande ecrã, mas também pelo ativismo político. Durante todo o dia, a atriz recorreu às redes sociais para documentar os protestos até que, em um deles, anunciou a prisão: ""Fui presa. Mantenham-se fortes. Continuem a luta. #AsMulheresDesobedecem", escreveu no Twitter

Pramila Jayapal também recorreu ao país "Fui agora presa com outras 500 mulheres na Marcha das Mulheres para dizer a Donald Trump que a sua política de tolerância-zero não vai continuar. Não no nosso país e não no nosso nome", escreveu a democrata. Durante o protesto Susan Sarandon disse que "é preciso lutar pelo direito das nossas famílias em serem livres, pela possibilidade de que as crianças possam estar com os seus país e não em jaulas e possam viver livres e seguras".

A polícia disse que 575 pessoas foram presas por estarem a manifestar-se ilegalmente dentro de um edifício governamental. Todas as pessoas foram já libertadas. Donald Trump já concordou em rever a sua política de separar as crianças dos pais que entram ilegamente nos Estados Unidos.