Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Costa arrasa primeiro-ministro italiano: “Atuação para fins mediáticos”

LUDOVIC MARIN

O Conselho Europeu decidiu esta sexta-feira a criação de centros de processamento de requerentes de asilo e restringir os movimentos de migrantes dentro da União Europeia

À saída do Conselho Europeu que discutiu a imigração, em Bruxelas, o primeiro-ministro português elogiou Angela Merkel e censurou a postura de Giuseppe Conte, o primeiro-ministro italiano. “Desejo à chanceler Angela Merkel as maiores felicidades porque tem estado do lado certo dos valores da Europa. Quanto a outras atuações para fins mediáticos, nao faço comentários…"

Foi assim, dizendo sem dizer, que António Costa definiu o que move Conte, o primeiro-ministro de Itália empossado no início deste mês, indicado pelo movimento 5 Estrelas e a Liga Norte, um partido de extrema-direita. Antes, Costa já havia dado conta do clima de tensão entre Estados-membros. “Foi um debate muito difícil. Eu não me recordo, nestes anos que tenho estado aqui no Conselho, de um debate tão difícil e onde tenha sido tão evidente as divisões que existem na Europa e que não vale a pena disfarçar que não existem.”

O Conselho Europeu decidiu esta sexta-feira a aplicação de centros de processamento de requerentes de asilo e ainda restringir os movimentos de migrantes dentro da União Europeia.

Dias antes da cimeira, Conte defendia a criação de centros para migrantes fora da União Europeia. Perante o senado italiano, já depois da tomada de posse, o novo primeiro-ministro subscreveu a posição anti-imigração de Matteo Salvini, ministro da Administração Interna e líder do Liga Norte, indicando um caminho: lutar contra o "negócio da imigração".

António Costa desvalorizou as conclusões do acordo. “Quem ler atentamente as conclusões, verificará que o Conselho não fez mais do que mandatar a Comissão e o Conselho para dialogarem com as Nações Unidas, com a Organização Internacional para as Migrações, com países terceiros para explorar uma ideia, e nada mais do que isso.”