Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Regulador da concorrência britânico investiga sites de reserva de hotéis devido a mensagens enganadoras

Jaap Arriens

Estão em causa informações como o número de pessoas que está a ver determinado anúncio ou a data a partir da qual é esperado um aumento de preço de determinado quarto

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Os sites de reserva de hotéis podem vir a ser obrigados a deixar de notificar os consumidores sobre os últimos quartos disponíveis e de dar mais visibilidade aos hotéis que pagam comissões maiores, anunciou esta quinta-feira a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA).

Em outubro do ano passado, o regulador da concorrência do Reino Unido começou a investigar se os referidos sites estão a enganar, de alguma forma, os consumidores e identificou já várias situações consideradas preocupantes, diz o jornal britânico “The Guardian”. As empresas sob investigação não foram identificadas, mas os principais sites de reserva no país incluem a “Expedia” e o “Booking”.

Para o regulador britânico, informações como o número de pessoas que está a ver determinado anúncio e a data a partir da qual é esperado um aumento de preço de determinado quarto podem criar uma falsa impressão de disponibilidade ou induzir o consumidor a fazer uma reserva de modo precipitado.

Cerca de 70% das pessoas que pesquisam pelos melhores preços de hotéis usam sites de reserva, mas muitas delas descobriram que o preço final foi inflacionado por taxas extra e inesperadas, como impostos e taxas de reserva adicionadas posteriormente, ainda de acordo com o regulador.

“Os sites de reserva podem facilitar muito a escolha das férias, mas apenas se as pessoas puderem confiar neles”, afirmou Andrea Coscelli, diretor-executivo da CMA. “Estamos a exigir que os sites repensem a forma como apresentam a informação aos seus clientes para garantir que estão a cumprir a lei”.

O passo seguinte, acrescentou o diretor-executivo, “é adotar medidas - inclusive nos tribunais, se necessário - para garantir que as pessoas tenham um tratamento justo”. A CMA estará também a investigar até que ponto a classificação de um hotel num site de reservas é influenciada pelo valor da comissão paga.

Os sites sob investigação já foram notificados a respeito da necessidade de rever as suas práticas e terão de o fazer nos próximos meses.