Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Papa e Macron falam sobre migrações e desarmamento em reunião excecionalmente longa

Vatican Pool - Corbis/Getty Images

Chefe máximo da Igreja Católica e Presidente francês encontraram-se na biblioteca papal oficial do Palácio Apostólico do Vaticano. Os dois dirigentes abordaram “a proteção do meio ambiente, a migração e o compromisso multilateral com a prevenção e resolução de conflitos, especialmente em relação ao desarmamento”. "A vocação dos que governam é ajudar os pobres”, disse o Sumo Pontífice a Emmanuel Macron

O Presidente de França, Emmanuel Macron, encontrou-se esta terça-feira com o Papa Francisco numa reunião excecionalmente longa, durante a qual se discutiram as migrações e os conflitos mundiais. Macron e o chefe máximo da Igreja Católica falaram durante quase uma hora, o dobro do que o Papa costuma conceder aos chefes de Estado ou de Governo, na biblioteca papal oficial do Palácio Apostólico do Vaticano.

Segundo um comunicado do Vaticano, os dois dirigentes abordaram “a proteção do meio ambiente, a migração e o compromisso multilateral com a prevenção e resolução de conflitos, especialmente em relação ao desarmamento”. Também falaram sobre as perspetivas de resolução de conflitos no Médio Oriente e em África e sobre o futuro da Europa, acrescenta o comunicado.

No final da parte privada do encontro, Macron ofereceu ao Papa uma edição rara, em italiano, do livro do escritor francês Georges Bernanos, “Il diario di un curato di campagna” (O diário de um padre de aldeia). O Papa disse que já leu o livro “muitas vezes” e que isso lhe fez “bem”.

O Presidente francês recebeu do Papa um medalhão de Martinho de Tours, um santo do século IV que é retratado a cortar a sua capa ao meio para cobrir um mendigo no inverno. “Isto significa que a vocação dos que governam é ajudar os pobres. Somos todos pobres”, disse o Sumo Pontífice a Emmanuel Macron.