Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cerveja pode estar em risco nos pubs britânicos. A culpa é da falta de CO2

Mike Kemp/GETTY

Uma relação entre esse gás normalmente associado à poluição e a produção de bebidas gaseificadas pode estragar o verão, se não aos ingleses pelo menos às indústrias que lhes dão de beber

Luís M. Faria

Jornalista

Não parece a altura ideal para faltarem cervejas e refrigerantes. Mas é isso que poderá estar prestes a acontecer no Reino Unido. Com o calor e o futebol a levarem aos pubs (e não só) milhares de britânicos ansiosos por bebidas frescas, estas poderão deixar de estar disponíveis devido a um problema inesperado: a falta de dióxido de carbono (CO2).

Um tipo de CO2 é usado na indústria das bebidas gaseificadas para retirar o oxigénio das latas e garrafas e manter a frescura e pressão do líquido. Acontece que a produção de CO2 foi gravemente afetada nos últimos tempos. Uma das suas fontes principais é a produção de amoníaco, ingrediente dos fertilizantes, mas a indústria agrícola precisa muito menos destes durante o verão, o que permite às fábricas fecharem temporariamente para consertos e reestruturações, por exemplo.

"Veio absolutamente na altura errada porque é o Mundial e o pico do verão", disse há dias um representante de Beavertown, uma produtora de cervejas. "As pessoas querem ver futebol e tomar uma cerveja. Estamos quase esgotados, mas nesta situação queremos sempre ter uma reserva, portanto se calhar ainda nos aguentamos mais uma semana."

A Associação Britânica de Cervejas e Pubs, por sua vez, explicou: "As questões de fornecimento aqui no Reino Unido complicam-se ainda mais por uma combinação dos encerramentos planeados de fábricas com falhas inesperadas de equipamento, particularmente em relação a um dos dois maiores produtores de CO2 por grosso".

Em suma, os 14 milhões extra de pints (1 pint=0'473 lt) de cerveja que se previa virem a ser consumidos pelos britânicos ao longo destas semanas poderão vir a ser bem menos, se a situação não se resolver. Quem aproveita a situação para promover os seus produtos são os produtores de bebidas naturalmente gaseificadas, desde cidras a cervejas.

Com as falhas de abastecimento das cervejas habituais a prováveis escassos dias de se fazerem sentir, uma associação do setor alternativo, a Camra, lembrou que há uma "quantidade" de bebidas "fantásticas" que não precisam de injeções artificiais de CO2 e são "uma escolha refrescante de bebida para o calor do verão".