Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Eurodeputado do PCP vai pernoitar no 'Lifeline' em "situação dramática"

O eurodeputado do PCP João Pimenta Lopes deverá pernoitar hoje a bordo do 'Lifeline', a embarcação com migrantes resgatados impedida de atracar em portos europeus, para "dar visibilidade a uma situação dramática"

O eurodeputado do PCP João Pimenta Lopes deverá pernoitar hoje a bordo do 'Lifeline', a embarcação com migrantes resgatados impedida de atracar em portos europeus, para "dar visibilidade a uma situação dramática".


Depois do Aquarius, o 'Lifeline' é a embarcação envolvida num "braço de ferro" entre os países europeus sobre a questão dos migrantes socorridos no Mediterrâneo.


O navio encontra-se neste momento ao largo da ilha de Malta e tem a bordo 239 pessoas, incluindo 14 mulheres e quatro bebés, que resgatou perto da costa da Líbia. Há vários dias que tenta obter sem sucesso autorização para desembarcar os migrantes.


João Pimenta Lopes disse à agência Lusa que vai subir a bordo do 'Lifeline' juntamente com um grupo de quatro deputados, um do parlamento espanhol e os restantes do alemão.
Contactado telefonicamente, o eurodeputado português considerou que a sua deslocação é uma "forma de solidariedade".


Assinalou que o 'Lifeline' tem de atracar "no porto mais próximo", dado que "não tem condições" para navegar até Espanha, como aconteceu com o Aquarius.

João Pimenta Lopes

João Pimenta Lopes

Service photo du Parlement Europ\303\251en

Depois de lhe ter sido recusado o desembarque em Itália e Malta, o Aquarius foi obrigado a navegar mais de 1.500 quilómetros na última semana até ao porto de Valência, Espanha, para deixar sair os 629 migrantes a bordo.


"A visita do deputado do PCP no Parlamento Europeu João Pimenta Lopes (...) visa tomar conhecimento da situação humanitária a bordo, manifestar a solidariedade dos comunistas portugueses a todas as pessoas resgatadas, denunciar a desumanidade das políticas migratórias e de asilo da União Europeia e exigir uma solução que de pronto permita o desembarque das 234 pessoas e o seu acolhimento", refere uma nota do grupo que o PCP integra no Parlamento Europeu.