Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Teorema de Pitágoras foi usado 2000 anos antes de Pitágoras ter nascido

DEA / G. WRIGHT/ Getty Images

O autor britânico Robin Heath defende que o teorema foi aplicado na construção do monumento de Stonehenge, no Reino Unido. E não só

“A hipotenusa ao quadrado é a soma dos quadrados dos catetos.” O teorema de Pitágoras aplica-se aos triângulos retângulos. Mas, afinal, pode aplicar-se também ao Stonehenge, o monumento pré-histórico constituído por círculos de pedras localizado no Reino Unido. A questão é que Stonehenge foi construído dois mil anos antes de Pitágoras ter nascido.

A teoria é apresentada pelo astrónomo britânico Robin Heath, que esta quinta-feira lançou o livro “Megalith: Studies in Stone”, cuja autoria partilha com outros sete investigadores. Acreditam que os princípios do teorema já foram usados por construtores durante o período Neolítico.

“Normalmente, as pessoas pensam nos ancestrais apenas como homens das cavernas, mas na verdade eram astrónomos sofisticados. Estavam a aplicar a geometria de Pitágoras mais de 2000 anos antes de Pitágoras nascer”, disse John Martineau, editor do livro, em entrevista ao jornal britânico “The Telegraph”. “Pensamos que as pessoas não tinham mentes científicas, mas antes disso eles eram astrónomos e cosmólogos. Estudavam para compreender os ciclos [lunares e solares] e já os conheciam quando começaram a planear construções como o Stonehenge.”

Heath concluiu, após reexaminar a geometria do período neolítico, que os monumentos eram construídos por astrónomos que entendiam as fases lunares, solares e os ciclos de eclipses. Assim, construiram um calendário de pedra enorme, recorrendo a geometria muito complexa. O britânico defende que existe um grande triângulo retângulo presente na paisagem daquele monumento pré-histórico e que a forma de construção foi intencional para que fosse possível assinalar algumas datas do calendário à época, incluindo os solstícios de verão e inverno bem como os equinócios de outono e primavera.

Embora acreditem que muito do conhecimento da altura se tenha perdido devido à forte presença cristã no Reino Unido, os investigadores explicam, ainda, que as 56 estacas ou pedras em redor do monumento de Stonehenge poderiam ser usadas para prever eclipses e mostrar as posições do sol, da lua e as fases lunares.

A menos de meia dúzia de quilómetros do Stonehenge, está o Woodhenge, mais um monumento do Neolítico, que também foi construído com base num triângulo pitagórico (12:35:37). Os autores encontraram ainda estes triângulos noutros locais como no interior de um templo druida em Inverness e no monumento Castlerigg em Keswick.