Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“I really don't care. Do U?”. O casaco (inconveniente) que Melania vestiu para visitar crianças separadas dos pais

KEVIN LAMARQUE/ Reuters

O casaco verde seco com letras brancas nas costas que a primeira-dama norte-americana usou durante uma visita a um centro de detenção está a causar polémica. Donald Trump diz que a mensagem era para as “fake news”

O estilo de Melania Trump já foi muitas vezes elogiado pelos especialistas em moda. A roupa que a primeira-dama veste pode esgotar em poucas horas nas lojas de roupa. Mas desta vez o motivo da conversa é bem diferente. Esta quinta-feira, enquanto embarcava para ir visitar um centro de detenção de crianças na fronteira entre o Texas e o México, Melania foi vista com um casaco verde seco e com umas letras grandes e brancas na costas: “I really don’t care. Do U?”

As fotografias foram tiradas enquanto a primeira-dama entrava para o Arir Force One na base aérea de Andrews Air Force, em Maryland. No entanto, quando chegou ao destino, no Texas, já vestia outro blusão. Desta vez, apenas de cor beije.

A imprensa dos Estados Unidos sublinha outra detalhe, mais frívolo: habitualmente, Melania Trump opta por peças de grandes marcas de luxo, enquanto o casaco que está no centro da controvérsia faz parte do catálogo de uma loja de retalho com um preço a rondar os €40.

Nas redes sociais, as imagens espalharam-se e foram motivo de críticas e de alguma chacota. O porta-voz da primeira-dama já esclareceu que tudo não passou de um acaso e que “não há qualquer mensagem escondida”. O mesmo não diz Donald Trump, que assegurou que o “I really don’t care. Do U?” [“Na verdade estou-me nas tintas. E tu?”, em tradução livre] tinha como alvo os órgãos de comunicação social que produzem “fake news”.

Melania Trump viajou para visitar centros de detenção no Texas, onde estão migrantes. Esteve também em casas que acolhem cerca de 60 crianças das Honduras e El Salvador - meia dúzia delas foram separadas dos pais na fronteira entre os EUA e o México enquanto as restantes chegaram ao país desacompanhadas.