Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caso La Manada. Protestos em Espanha contra a libertação de agressores ilibados de violação

Nesta quinta-feira, em Pamplona, a libertação dos cinco elementos do grupo La Manada desencadeou protestos nas ruas

ANDER GILLENEA/Getty

Entidades organizadoras das manifestações adotaram como mote a frase "Se 'La Manada' sai para a rua, nós também saímos".

Os espanhóis saíram nesta quinta-feira à rua para protestar por um tribunal de Pamplona ter colocado em liberdade condicional os cinco membros do grupo 'La Manada' que abusaram de uma jovem de 18 anos e não foram condenados por violação.

Os cinco jovens sevilhanos, com idades entre 27 e 29 anos e que se autointitulavam La Manada, estavam há dois anos em prisão preventiva e foram condenados a 26 de abril a nove anos de prisão, cada um, por "abuso sexual" perpetrado durante as festas de San Fermín, em Pamplona, no verão de 2016. Segundo a agência noticiosa espanhola Efe, o tribunal decidiu hoje colocar em liberdade condicional os cinco condenados, mediante o pagamento de uma fiança de 6.000 euros cada.

Um porta-voz do tribunal disse à agência francesa AFP que a decisão dos juízes, com os fundamentos que a explicam, só será divulgada na sexta-feira. A decisão judicial de não condenar os agressores do crime de violação, depois de eles terem filmado os seus atos, provocou uma vaga de manifestações feministas em Pamplona e em toda a Espanha e levou o ministério público a apresentar recurso.

A decisão de os pôr em liberdade imediatamente desencadeou reações de indignação por todo o país, e já foram convocadas manifestações para o fim da tarde de hoje em Pamplona, cuja principal praça estava cheia de gente às 19h00 locais (18h00 de Lisboa), e para Barcelona, Madrid e Sevilha na sexta-feira. As entidades organizadoras adotaram como mote a frase "Se 'La Manada' sai para a rua, nós também saímos".

O movimento feminista é particularmente forte em Espanha, país pioneiro no combate à violência contra as mulheres. A 8 de março, uma greve geral de mulheres sem precedentes, que mobilizou milhões de espanholas, o novo Governo socialista que tomou posse no início deste mês é maioritariamente constituído por mulheres.