Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atividade explosiva de cinza do vulcão na Guatemala aumenta

JOHAN ORDONEZ/Getty

A atividade explosiva de cinza do vulcão de Fogo na Guatemala tem erupções a chegar aos 5.000 metros de altura, anunciou o instituto de Sismologia

A atividade explosiva de cinza do vulcão de Fogo na Guatemala, cuja erupção provocou pelo menos 114 mortos, aumentou esta terça-feira, com erupções a chegar aos 5.000 metros de altura, anunciou o instituto de Sismologia.

O Instituto Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (Insivumeh) alertou que as explosões estão fortemente carregadas de cinza, que poderá cair nas localidades de San Miguel Dueñas, Ciudad Vieja e La Antigua Guatemala, avisando também que a cinza se move a uma distância de 25 quilómetros para noroeste e norte do vulcão.

O Insivumeh indicou que se ouve o barulho das explosões a uma distância de 10 quilómetros e que as ondas de choque fazem os telhados de algumas residências vibrar.

Devido ao aumento da atividade, o instituto não descarta a possibilidade de serem gerados fluxos compostos por gases quentes, cinzas e pedras, alertando para o deslizamento de lama composta por resíduos vulcânicos e água.

O instituto recomendou também ao Gabinete de Coordenação Nacional para a Redução de Desastres (Conred) a monitorização da evolução da atividade do vulcão, situado 50 quilómetros a oeste da capital do país, devido ao deslizamento de lama e cinza ao longo da tarde e noite.

Entretanto, a população e as autoridades regressaram esta terça-feira à localidade San Miguel Los Lotes, fortemente afetada pela erupção, para avaliar se é possível retomar as buscas de cadáveres, suspensas por motivos de segurança.

As fortes chuvas das últimas horas e os deslizamentos de lama e cinza na segunda-feira complicaram a situação nas zonas devastadas pela erupção. A Conred anunciou esta terça-feira também que a erupção destruiu 186 residências, juntamente com uma escola, ponte e autoestrada, encontrando-se agora 750 residências em risco na localidade de Escuintla.

As autoridades alertaram para as 3.557 pessoas que se encontram alojadas em Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango, as três localidades mais afetadas pela erupção. O número total de desaparecidos é de 197 pessoas, e o de afetados é de 1.714.373, dos quais 12.784 foram retirados das suas casas.

O vulcão, situado a oeste da Cidade da Guatemala, entrou em erupção no dia 3 de junho, cobrindo as aldeias circundantes de cinzas incandescentes e lava, dando pouco tempo aos residentes nas imediações para fugir.